top of page

Não é apenas mais uma de amor: Músicas de K-pop que fogem do romance com temas sociais

Atualizado: 22 de nov. de 2022

Deixando o romance de lado, grupos como BTS, EXO e Big Bang abordam temas como machismo, falta de empatia e a pressão para ser sempre perfeito em suas letras


(Reprodução/KQ Ent./SM Ent./HYBE/TS Ent.)

A música é uma das principais maneiras que as pessoas utilizam para se expressarem, e o K-Pop não fica fora disso. Sendo um gênero musical diverso, pode abordar vários temas como amor romântico, auto estima e amor próprio; porém, críticas a temas sérios também servem como inspiração para os compositores da indústria.


Reflexões sobre o mercado musical coreano, e também críticas sociais, sobre machismo, assédio sexual, sistema educacional, obsessão por seguidores e julgamento da sociedade — todos esses assuntos já foram abordados em músicas de K-pop. Elas podem também inspirar as pessoas a lutarem por seus direitos, como aconteceu no protesto iniciado por fãs 14 anos atrás.


O Café separou algumas músicas que fazem críticas sociais, seja em sua letra, no clipe ou em ambos. Confira a lista após a publicidade.







Loser - Big Bang


Loser é uma música que, de acordo com os fãs, aborda muito da vida pessoal e das polêmicas envolvendo os membros na época. As críticas são feitas para eles mesmos, mas também para a sociedade que os abandonou e que os levou a se sentirem como perdedores, eles cantam "Eu comecei a olhar mais para o chão do que para o céu. É difícil até mesmo respirar. Eu estendo minha mão, mas ninguém a segura".


Eles falam sobre suas inseguranças, de como não podem simplesmente serem eles, e suas ações sempre têm um peso muito maior; qualquer coisa que façam que não corresponda as expectativas, fazem com que se sintam perdedores. Eles sorriem em frente as câmeras, mas estão lidando com batalhas internas, e não têm quem os ajudem. A música retrata o peso dos julgamentos da sociedade na construção de um julgamento pessoal.



FACE - NU'EST


NU'EST, grupo que completou 10 anos agora em 2022, debutou com Face, música que fala sobre um tema que é comum em diversos k-dramas como a franquia School: a violência escolar e bullying. A letra da música fala que "Se você tentar agir como se estivesse acima de tudo e todos, vai se desapontar" e "Esse 'carisma' que você tem agora, as amizades que você jogou fora... Vá se gabar sobre elas em algum lugar, se puder!", demonstrando que se a pessoa agir desta maneira, como se fosse melhor que os outros, ela vai acabar sozinha.


O clipe tem participações especiais de alguns membros do Seventeen, grupo da mesma empresa. Tendo diversas cenas de brigas entre eles e os membros do NU'EST. No final, mesmo tendo "derrotado" o grupo rival, os integrantes estendem a mão para o outro grupo, dando fim ao ciclo de violência.



Noir - Sunmi


O MV de Noir retrata uma crítica ao comportamento das pessoas de fazer tudo por visualizações, likes, reconhecimento, aprovação e validação. Mostra a obsessão em conseguir seguidores e não medindo esforços para isso. Conforme ela vai mentindo e manipulando seus seguidores, mais pessoas a seguem, a obsessão é tanta que ela chega ao ponto de se machucar e se colocar em situações de risco.


O clipe mostra Sunmi tomando remédios, colocando fogo no próprio bolo de aniversário, fazendo diversos cenários falsos para forjar uma realidade. Por fim mostra seu carro pegando fogo, onde ela pega o celular e tira uma foto do momento.





WAKE ME UP - B.A.P


B.A.P desde o debut lançou diversas músicas que fazem críticas sociais. Uma delas é Wake Me Up, que é uma música/clipe que pode ter diversas interpretações, porém a principal é a de que ela faz diversas críticas com relação a problemas psicológicos e como eles são banalizados.


O clipe abordou estes tópicos de forma bem forte, então fica o aviso de que pode ser um conteúdo sensível para algumas pessoas. Os personagens do MV representam questões como o transtorno alimentar, depressão e baixa autoestima. Um dos pontos principais é que a música fica mais realista pois Bang Yongguk, líder do grupo, sofre de síndrome do pânico e na época ele tinha ficado afastado do grupo por um tempo para tratamento.

O final do MV mostra que as pessoas podem se ajudar. E eles cantam que "Mesmo que demore, eu continuo andando. Jogue fora suas preocupações". Eles falam da importância de cada um "Você não pode colocar um preço na minha vida. É uma vida que não pode ser trocada com a de mais ninguém".



MAMA - EXO


Antes de Kwangya, a SM apresentou com o EXO o conceito do EXO Planet, com cada membro tendo um poder diferente. A música que está completando 10 anos este ano mistura elementos fantasiosos, como a árvore da vida, com críticas sociais. Em MAMA, a árvore da vida que alimenta a existência do EXO Planet é consumida. Para impedir que o lar deles seja extinto, o grupo é separado em duas units, o EXO-K e EXO-M e com isso eles são enviados ao planeta Terra. Porém, ao chegarem aqui, alguns dos integrantes do grupo se desviam da missão e ficam apegados ao poder, dinheiro e ganância, deixando o amor de lado.


Na letra, eles questionam MAMA porque as pessoas mudam e se já houve um tempo em que as coisas foram melhores e mais bonitas. Eles cantam também que "Eles esqueceram como amar e perderam seus corações para se importar. Eles estão ocupados vivendo com suas costas viradas". Isso pode ser interpretado como uma crítica à sociedade individualista, na qual ninguém se importa mais com o outro; falando sobre a falta de empatia e amor ao próximo.




Ah Yeah - EXID


Ah Yeah, música produzida por Shinsadong Tiger tem um MV que faz crítica à sociedade machista, mostrando como as mulheres são frequentemente sexualizadas. Durante o clipe vemos diversas imagens censuradas, dando ideia de conteúdo explícito, porém no final a censura é retirada, mostrando que as imagens não eram nada do que pareciam.


Outra questão abordada é o assédio em ambiente profissional. O clipe inicia em um escritório e com uma voz masculina perguntando "Aonde você mora? Você mora sozinha?", HANI responde "delicadamente", enquanto L.E rebate de maneira mais áspera, como se fosse o que a Hani gostaria de responder. Nesse momento elas cantam "Eu não quero responder essas perguntas", "Você suavemente sorri e continua me incomodando. Me tratando como uma garota qualquer" e "Suas tentativas me deixam desesperada toda vez".


O clipe mostra diversas situações de assédio que as mulheres sofrem, gerando reflexão quanto ao assédio enraizado na sociedade.



N.O - BTS


BTS tem diversas músicas falando de amor próprio, porém, mais para o início do grupo as músicas eram focadas em críticas sociais, como seu debut No More Dream, e seu primeiro comeback N.O. Mesmo abordando outros conteúdos o grupo nunca abandonou o lado das críticas sociais.


Em N.O eles criticam o sistema de ensino da Coréia, eles cantam "Em Seul, para SKY", que pode ser interpretado de duas maneiras: sendo SKY a palavra céu em inglês, ou uma sigla que une as iniciais das três universidades mais prestigiadas da Coréia do Sul: Seoul National University, Korea University e Yonsei University.


Eles falam que "Os sonhos já eram, sem tempo para respirar" e que são "Fábricas de estudar que respiram, constantemente fazendo uma dívida para pagar outra". Como relatados em k-dramas como o hit Sky Castle e o pesado The Penthouse, é possível ver que, para conseguir ficar em primeiro lugar, os estudantes gastam muito dinheiro e se tornam máquinas de estudos, deixando amigos e até família de lado.


Eles criticam que, não só o sistema de ensino, mas a sociedade em si que é tão competitiva, "Ou você é o número um, ou então é rotulado como o que ficou para trás", e a culpa desse sistema é dos adultos, questionando "Quem nos transformou numa máquina de estudos?" Porém eles não querem nada disso, dizendo que "Eu quero comer e me divertir, quero rasgar meu uniforme".




THANXX - ATEEZ


Ateez, que teve o último comeback em Setembro de 2021, lançou a música THANXX em 2020, onde eles falam sobre os jovens que estão iniciando a vida adulta. Momento da vida onde os outros, geralmente os adultos, querem opinar sobre o que é melhor, como um jovem deve agir ou vestir, sem perguntarem o que você quer, então eles se cansam disso.


Logo no começo do MV vemos uma rebelião acontecendo dentro do colégio, é possível ver os membros jogando papéis para o alto e tirando seus uniformes. Em seguida, eles pegam um ônibus escolar e vão para um lugar afastado, seguindo seus próprios caminhos, mostrando que são capazes.


Na letra da música eles falam sobre estarem cansados de ouvir o que devem ou não fazer, e que eles não se preocupam com as críticas. Quando ouvem perguntas como "O que você quer fazer? O que você vai se tornar?", respondem que vão apenas viver para descobrirem.








Sentiu falta de alguma música na lista? Conta para o Café no nosso Twitter e Instagram.

936 visualizações

Kommentare


bottom of page