top of page

Em "Love 119", RIIZE mostra a saudades do primeiro amor e resgata a sonoridade dos anos de ouro do K-pop

Novo lançamento do boygroup transborda emoção e deixa sua própria marca em uma reinterpretação de OST marcante dos anos 2000


Reprodução/SM Entertainment

Acompanhar um lançamento do RIIZE é aguardar por uma surpresa. O boygroup tem pouco tempo de carreira, está no processo de construção da sua identidade e carrega uma limitação em sua discografia, composta por apenas cinco canções. Em Talk Saxy, o grupo capaz de transportar o público para um momento nostálgico do pop e dão continuidade. Em Love 119, a SM mostrou que tem a chance de desenvolver um projeto ambicioso com estes sete talentos.


RIIZE fez seu segundo comeback na sexta-feira (5) depois da baixa divulgação da empresa, apesar da notícia do retorno circulou com semanas de antecedência. Assim como Talk Saxy, Love 119 é apenas um single, sem álbum ou b-side para acompanhar.








Love 119 não se perde no "comum"


Reprodução/SM Entertainment

Love 119 é mais um projeto ousado do boygroup, que tem se destacado com seu pop energético desde o debut, mas dessa vez adicionaram uma carga emocional maior. A canção é um pop emotivo em harmonia com a letra sobre primeiro amor, descrito pela SM como "um sentimento repentino e comparado com a situação de emergência".


O boygroup não cai no comum ao falar do primeiro amor. Confesso que esperava ver os integrantes imersos em um romance fofo que os concederia a imagem de "sonho adolescente". É bom ser surpreendida, o RIIZE mostra como o primeiro amor vem como um avalanche e estamos tão imersos nisso que não percebemos, mas quando ele passa sobram apenas as memórias e o sentimento de angústia do famoso "e se tudo tivesse sido diferente?".


Fiquei imersa na canção quando acompanhei o Music Video pela primeira vez, parecia superar minhas expectativas e de fato superou. É curioso quando você percebe que a canção organiza os membros em duetos, eles tem suas partes individuais, mas em certos momentos dois talentos se fundem. Por exemplo, no primeiro pré-refrão, Anton e Eunseok cantam juntos, seguidos de Sohee e Shotaro, uma fusão que se estende em vários momentos na canção.






O cinema e as antigas gerações estão vivos em "Love 119"


Reprodução/Fuji TV, Toho Co, Netflix, SM Entertainment

RIIZE teve grande responsabilidade de reinterpretar Emergency Room da banda izi. A música lançada em 2005 faz parte da OST do K-drama Sassy Girl Choon Hyang, uma comédia romântica muito distante da história de amor e superação do MV. A sonoridade das duas produções são similares aos ouvidos mais atentos, além das referências na letra da canção do boygroup e durante os segundos iniciais do clipe.


이건 emergency (vroom)




Não é uma tarefa simples reinterpretar um trabalho reconhecido pelo público. O artista precisa lidar com comparações, mas avalio que o boygroup soube transbordar suas próprias cores e deixar claro que apesar da referência, Love 119 segue um caminho único. RIIZE conseguiu agarrar esse projeto com naturalidade, não parece precisar de esforços para se adaptar ao conceito, na verdade, parece algo criado especialmente para os membros.


Emergency Room não é o único elemento que o RIIZE resgata das gerações passadas. Para os amantes de cinema, principalmente os mais familiarizados com filmes japoneses, é impossível não lembrar do romance dirigido por Shunji Iwai, Love Letter (1995) tanto em cenas específicas, ambientações e fotografia. Love 119 também parece seguir pelo mesmo caminho de outro longa japonês, dessa vez mais recente, First Love de 2022. As três produções traçam um ponto em comum, que vão além do romance colegial: viver com a angustia das memórias do primeiro amor.


Reprodução/Fuji TV & SM Entertainment

No geral, Love 119 se inspira fortemente na filmografia japonesa, podem ser vistas até referências a aclamada animação japonesa, Your Name (2016).






Como definir o retorno do RIIZE?


Reprodução/SM Entertainment

Saudades talvez seja a palavra que melhor descreve Love 119. Esse é o sentimento compartilhado pelos integrantes em suas interpretações e também a sensação que buscam transportar para o ouvinte. A saudades pela nostalgia ao lembrar do primeiro amor e da sonoridade do pop dos anos 90 e 2000, afinal, é quase impossível ouvir Love 119 e não pensar em H.O.T.


Como alguém que conheceu o K-pop pelos grupos da segunda geração, ver o caminho que o RIIZE tem reforçado me deixa animada e com fortes expectativas. Apesar da segunda geração ter me aberto portas no gênero, cheguei durante o terceiro ato da história do gênero musical sul-coreano e não acompanhei os lançamentos de ouro da indústria. Por muito tempo torci para ver um boygroup com a coragem de tocar na sonoridade característica dos anos 2000 e fosse capaz de despertar as sensações que sinto até hoje ao ouvir os primeiros álbuns do TVXQ.


RIIZE tem se mostrado um prato cheio para aqueles fãs de K-pop reclamam de sentirem falta da essência do gênero e pedem pelo retorno da sonoridade de grupos das gerações passadas. Os sete integrantes mostraram em Talk Saxy serem capazes de trazer a nostalgia dos anos de ouro de K-pop, e com Love 119 podem ir além.


Não há muito o que dizer sobre o novo trabalho do RIIZE, é ótimo, cativante e te faz ter vontade de mais, bem que gostaria de ter mais o que analisar, quem sabe para o próximo comeback. Apesar da sua discografia limitada, o grupo tem se reforçado como um grupo a nível da SM e permite o público ter curiosidade do que eles serão capazes de fazer quando surgir a oportunidade de um álbum completo.


33 visualizações
bottom of page