top of page

[Resenha] Hierarchy se perde no caminho e não é capaz de sustentar o próprio enredo

Prometeu, mas não entregou nada! Novo k-drama da Netflix é uma decepção para os fãs de produções de vingança ambientados na alta sociedade coreana


Arte com a Nota de Hierarchy.
Imagem promocional de Hierarchy, dorama da Netflix.
(Divulgação/Netflix)

Hierarchy parecia um título promissor, e boa parte do público assistiu a sua estreia na última sexta-feira (7) na Netflix com fortes expectativas. O roteiro tinha a faca e o queijo na mão ao entregar o enredo de vingança para um estudante que supostamente não aceitaria as opressões de uma instituição calado, mas no fim o "herói" não é tão bem construído como imaginávamos.


O Café com Kimchi recebeu antecipadamente os quatro primeiro episódios de Hierarchy. Já em nossas primeiras impressões, a história se mostrou cheia de altos e baixos — às vezes, mais baixos do que altos —, mas poderia ser melhor desenvolvida dependendo do rumo escolhido. Porém, com o lançamento de todos os episódios, ficou claro que a trama não teria uma grande reviravolta nem um desfecho a altura — a não ser que a grande reviravolta seja o excesso de furos no roteiro.


Atenção! Esta resenha contém spoilers!




O poder do "amor" mudou toda a perspectiva do vingador


Imagem promocional de Hierarchy, dorama da Netflix.
(Divulgação/Netflix)

Os três episódios restantes enterram qualquer chance de uma boa resolução para a trama. O protagonista vingador Kang-Ha (Lee Chae-min) perde completamente a força de vontade que parecia ter no começo, tudo pelo amor e preocupação que sente por Jung Jae-Yi (Roh Jeong-Eui), apesar dos dois terem se conhecido há pouquíssimo tempo. Ao longo da história, seu protagonismo começa a se esvair, junto com sua perseverança. É desagradável acompanhar o quão patético ele se torna para protegê-la, a ponto de modificar sua vingança e colocar um aliado promissor em uma situação péssima.


No fim, Kang-Ha é reduzido a um personagem sem o mínimo de senso crítico para notar que as ações da sua "amada" a tornam cúmplice de tudo aquilo que ele pretende vingar. Jae-Yi tinha influência na instituição e sob o até então namorado, e ela poderia ter feito algo para minimizar a situação para Kang In-Han (Kim Min-Chul), o irmão do protagonista que foi morto em um acidente. Jae-Yi se calou, uma pessoa foi perseguida e morta, mas para o "vingador" Kang-ha está tudo bem!


O roteiro de Hierarchy até tenta fazer o público se compadecer por Jae-Yi e seus problemas com o pai controlador, mas falha em criar um arco de redenção legítimo para amenizar sua culpa. A relação familiar dela é terrível, mas uma pessoa morreu e ela está envolvida indiretamente. Na verdade, de certa forma, o roteiro busca isso com os outros protagonistas; Ri-An e sua mãe controladora, e o breve momento de pobreza de Yoon He-Ra (Ji Hye-Won) — que surpreendentemente faliu, mas a matrícula milionária na escola ainda estava em dia. A tática não funciona com ninguém e, no fim, todos ainda alimentam o sistema do Colégio Jooshin.




Logo, acompanhar um "final feliz" em que Kang-Ha termina em bons termos com os agressores do seu irmão parece totalmente incoerente e distante da determinação que ele demonstrava no início da trama. A vingança tão aguardada é fraca, e frustra justamente por não dar aos agressores e à instituição o que eles realmente mereciam.


Hierarchy coloca em cena um combo tedioso


Imagem promocional de Hierarchy, dorama da Netflix.
(Divulgação/Netflix)

Roh Jeong-Eui, que dá vida à Jae-Yi, não conquistou o publico com o seu papel. A atriz permanece com as mesmas emoções do começo ao fim da produção e não transmite carisma nem em momentos de descontração. No começo, sua inexpressividade pode ser justificada como uma demanda da personagem, em especial em momentos conflituosos com o pai. Mas com o decorrer da trama, isso deveria ser superado — até porque, se ela fosse um pouco mais simpática em cena, o desfecho de Hierarchy poderia ser um pouco menos intragável.


Kim Jaewon também não é nenhum pouco convincente como Ri-An. À primeira vista, ele parece um personagem perdido e mal escrito, e os episódios finais não o deixam longe disso. Ri-An parece solto no enredo, não tem expressividade para ser um vilão como, em certos momentos, o roteiro o colocou, e serve menos ainda para mocinho. Quando Jae-Yi e Ri-An reatam, os atores se tornam um combo tedioso em cena, incapazes de transmitir química, diálogos impactantes ou atuações enérgicas. É até difícil saber se os personagens realmente ainda são apaixonados um pelo outro.


Choi Yun-Seok (Kim Tae-Jung) é quem merece todo o mérito de vilão em suas cenas de violência escolar, afinal, é ele quem suja as mãos para Ri-An. No geral, muitos secundários conseguem fazer um trabalho melhor do que os principais se propõem, com exceção de He-Ra, que conseguiu construir um arco de vilania realmente interessante e é um dos poucos destaques positivos de Hierarcy. Os atores veteranos Choi Won-Young e Yoon Se-Ah também merecem elogios por suas cenas; ambos engolem os artistas ao redor com o seu talento.






Hierarchy: Momentos finais nada convincentes para uma possível 2ª temporada


Imagem promocional de Hierarchy, dorama da Netflix.
(Divulgação/Netflix)

É um consenso quase universal entre o público que a vingança de Kang-ha é fraca comparada ao que ele se propôs e à culpa dos seus inimigos. Preocupações excessivas com quem não merecia o distraíram de seu objetivo, e os roteiristas foram por um caminho demasiadamente brando, transformando sua vingança em algo sem impacto e com cheio de furos. Afinal, Jooshin mudou da noite para o dia depois das investigações? E Kang-ha aceitou manter uma relação cordial com os herdeiros que alimentam o sistema?


Essas inconsistências conseguiram frustrar o público de uma tal maneira que talvez nem uma nova temporada seja capaz de reverter os decepcionados com a trama. Mas há sim espaço para uma continuação, em especial após a cena pós-créditos do último episódio, que dá a entender que há um novo vilão no colégio. Por enquanto, para a infelicidade de alguns e a alegria da maioria, a segunda temporada não foi confirmada.


Você gostaria de ver novos episódios de Hierarchy? Conte para o Café com Kimchi nas nossas redes sociais!



30 visualizações

Comentarios


bottom of page