top of page

3 motivos para assistir “A Killer Paradox”, K-drama da Netflix protagonizado por Choi Woo Shik

Produção sul-coreana estreia no dia 09 de fevereiro na plataforma de streaming


Choi Woo Shik e Son Suk ku em A Killer Paradox

(Divulgação / Netflix)


Se você gosta de um bom drama policial, com pitadas de suspense e ação, A Killer Paradox é uma excelente opção. O drama da Netflix chega ao Brasil no dia 9 de fevereiro e promete ser mais um sucesso — e não é à toa. A obra é baseada em um webtoon de mesmo nome, e tem como protagonista o incrível  ator Choi Woo Shik (Nosso Eterno Verão e Parasita). O Café Com Kimchi recebeu os episódios previamente, e reuniu alguns motivos para você assistir.


A produção narra como o protagonista Lee Tang (feito pelo Choi Woo Shik), um estudante universitário comum,  acidentalmente mata um homem em legítima defesa — mas logo descobre que essa pessoa era um criminoso ameaçador. Percorrendo por dilemas morais, o rapaz tenta viver longe da culpa e, principalmente, da polícia, que começa a caçá-lo incessantemente, contando com as travessuras investigativas do detetive Jang Nan-Gam (interpretado por Son Suk-ku). 





1. A Killer Paradox é uma mistura de estilos


Com oito episódios, o drama é uma mistura homogênea de diferentes estilos e composições cinematográficas, que mira e acerta perfeitamente no teor já conhecido das séries sul-coreanas. O que diferencia A Killer Paradox do restante, porém, é a atmosfera quase noir, que combina com o aspecto de drama policial e suspense, que contém cenas gráficas bastante chocantes.



2. Texto perspicaz


Apesar de parecer bastante simples, o roteiro de A Killer Paradox é extremamente perspicaz na hora de compor todo o seu desenvolvimento. O vai e vem dos personagens só funciona justamente por conta dessa assertividade, que serve também para manter o público preso à trama e, principalmente, querendo saber quais serão os próximos acontecimentos. É como se cada detalhe fosse pensado para tornar a adaptação não apenas palatável, mas justa e adequada ao decorrer dos episódios. Há, em tudo isso, uma fluidez entre os múltiplos aspectos técnicos, fazendo com que a produção exponha uma riqueza de detalhes sem parecer rígida ou formal demais. É viciante e capaz de conquistar qualquer um.






3. As atuações de Son Suk ku e Lee Hee joon


Não é possível ser uma mistura de estilos, ou mesmo ter um excelente texto sem alguém que os complemente. É por isso que o elenco atrai tanta atenção. É claro que esta não é, de forma alguma, uma produção centrada na figura principal, Lee Tang. Vemos muito além dele, e nomes como Son Suk ku (que fez os dramas My Liberation Notes e Força Bruta) e Lee Hee joon (de Mouse e Chimera) servem como excelentes suportes do começo ao fim.


Por que assistir?


Killer Paradox pode até parecer demasiado estereotipado ao ajustar-se a certos maneirismos, como cenas puramente dramáticas ou com atuações exageradas. Porém, isso faz parte da combustão de ideias cuja produção se integra e corresponde muito bem, principalmente devido à excelente direção de Lee Chang hee (Strangers From Hell) e roteiro por Kim Da min. Fora isso, há algumas cenas +18 que denotam uma certa evolução e afastamento do já tradicional e moral costume dos doramas. 


Para quem deseja acompanhar uma obra com provocações tão interessantes tanto no estilo quanto nas técnicas, vale muito a pena ficar de olho e se aventurar em mais um dos destaques propostos pela Netflix no mundo dos dramas sul-coreanos. E aí, você vai ficar de fora?





45 visualizações
bottom of page