top of page

Plim-Plim na Coreia do Sul: 10 doramas parecidos com novelas da Globo

Sim, os dramas sul-coreanos têm sua própria versão de Ruth e Raquel de Mulheres de Areia, assim como uma Angel, de Verdades Secretas

(Reprodução)

Colaboração de Nathalia Jesus e Samara Barboza


Se você é brasileiro, existe a grande possibilidade de ter tido a vida marcada por, pelo menos, uma das novelas da Rede Globo. A emissora é o maior nome da teledramaturgia brasileira desde os anos 1970 e fez parte do cotidiano de muitas pessoas, de diversas idades, regiões e até nacionalidade — considerando que inúmeras novelas da Globo foram exportadas e receberam prêmios internacionais como o Emmy.


Na Coreia do Sul, o fenômeno parecido acontece com os doramas — ou K-dramas, como também são conhecidos. Com tramas que vão desde comédias românticas a enredos eletrizantes de ação e suspense, a atração está presente em muitas casas sul-coreanas e sua enorme influência dita tendências e movimenta a economia do país.



Felizmente, os doramas também chegaram às telas de outros países — incluindo o Brasil, é claro. Para celebrar a enorme potência cultural que são as novelas e os K-dramas, o Café Com Kimchi uniu ambas as produções em um texto, após muito ponderar sobre o seguinte questionamento: “se esta novela fosse feita na Coreia do Sul, qual dorama seria?” E aqui vão as respostas!



School x Malhação

(Reprodução)

Todo país tem sua obra televisiva clássica e na Coreia do Sul não seria diferente. Enquanto o Brasil tem Malhação (1995), o país asiático possui o School (1999). Ambos os títulos abordam a vida de estudantes de uma determinada escola, problemas sociais e retratam os conflitos da adolescência, como amor, amizade, pressões acadêmicas e bullying.


Quando você pensa que School e Malhação não podem ficar ainda mais parecidas, elas são divididas por temporadas, o que é bem raro entre doramas. Junto com a mudança, há também a troca de personagens e enredo. A novela brasileira teve no total 27 fases e estreavam anualmente, já School é um pouco menor, apenas 8 temporadas. O drama também tinha estreias anuais até a sua quarta temporada, agora a espera é um pouco maior.


Muito além do enredo, vale destacar como essas obras agregam na carreira dos atores. School e Malhação são portas de entrada para muitos novatos fazerem suas estreias e conquistarem atenção. Se de um lado temos Cauã Reymond, Thiago Lacerda e Débora Falabella em papéis importantes na televisão brasileira depois de atuarem em Malhação, do outro há Lee Jongsuk, Kim Sohyun e Nam Joohyuk recebendo cada vez mais protagonismo após School.



Extracurricular x Verdades Secretas

(Reprodução)

Extracurricular (2020) e Verdades Secretas (2015) têm algumas semelhanças facilmente identificáveis: jovens que precisam de dinheiro, entram no mundo da prostituição, faturam bastante e ninguém, exceto seus parceiros de trabalho, conhecem suas verdadeiras atividades longe da vida exemplar em que vivem. Assim, é notória a similaridade entre os protagonistas Jisoo (Kim Donghee), do dorama sul-coreano, e Angel (Camilla Queiroz), da famosa novela da Globo.


No enredo de Extracurricular, Oh Jisoo está no último ano do ensino médio e é o orgulho do bairro em que vive, conhecido como um jovem esforçado e trabalhador que não tem tempo para ter uma vida social, pois está muito ocupado tentando ganhar dinheiro para pagar a mensalidade do colégio. No entanto, em sua vida paralela, fatura com tráfico sexual, organizando eventos com prostitutas — muitas delas, colegas de escola recrutadas por ele. Em sua atividade secreta, o rapaz presta serviço de segurança para que estes encontros sejam bem-sucedidos, mas a estabilidade de seu negócio é ameaçado quando uma estudante descobre seu esquema.


Já em Verdades Secretas, Arlete é uma jovem ingênua que sai do interior para buscar oportunidades de carreira na capital de São Paulo. É quando se depara com uma agência de modelos comandada por Fanny (Marieta Severo) e decide fazer parte do casting, ganhando o nome artístico “Angel”. Lá, descobre o “book rosa”, serviço de programas sexuais com executivos que frequentam desfiles de moda. Angel se recusa, a princípio, mas quando ela e a mãe são ameaçadas de despejo, a jovem se torna prostituta.


Moon Lovers: Scarlet Ryeo x O Tempo Não Para

(Reprodução)

As protagonistas Go Hajin (IU), de Moon Lovers: Scarlet Ryeo (2016), e Marocas (Juliana Paiva), de O Tempo Não Para (2018), são ligadas por um destino inusitado. As duas viviam em épocas específicas, mas através de um mistério envolvendo água, acordam em um período história diferente. Consequentemente, precisam se habituar com os novos costumes e se envolvem em tramas de amor e amizade.


Partindo de Moon Lovers, Hajin é uma jovem do século 21 e durante um eclipse solar é levada pela água. Ao emergir, está na Dinastia Goryeo, que governou a Coréia no século 10. Hajin tem dificuldades em conter sua personalidade e se adaptar a certos hábitos. Mas a vida da jovem se torna mais complicada quando descobre que não é uma pessoa qualquer: ela está no corpo de Haesoo, prima da esposa do oitavo príncipe. Assumindo a nova identidade, a aventura de Haesoo se torna ainda mais interessante, ao mesmo tempo perigosa, quando ela começa a se aproximar dos príncipes do palácio.



De forma similar, na novela O Tempo Não Para também há uma viagem no tempo. Marocas vivia em 1886, mas se envolveu em um acidente de navio com a família. O transporte naufraga e devido a baixa temperatura da água, os passageiros ficam congelados até serem encontrados 132 anos depois. Descongelada em uma praia de São Paulo em 2018, Marocas é encontrada pelo empresário Samuca (Nicolas Prattes) e precisará se adaptar à nova vida, garantindo cenas divertidas.


Mine x A Favorita

(Reprodução)

A famosa criação de João Manoel Carneiro, A Favorita (2008), se tornou uma das novelas mais queridas do Brasil devido às duas poderosas protagonistas femininas, interpretadas por Patrícia Pilar e Claudia Raia. Em paralelo, o dorama Mine (2021) — disponível na Netflix sob o título “É Tudo Meu”também traz força feminina com as personagens principais Hisoo (Lee Boyoung) e Seohyeon (Kim Seohyung), mas isso está longe de ser a única semelhança entre as duas tramas.


Em Mine, Hisoo e Seohyeon são cunhadas e integram a família rica que comanda o grupo Hyowon, o maior conglomerado empresarial na Coreia do Sul. Hisoo é ex-atriz e largou a carreira artística ao se casar com o milionário Han Jiyong, enquanto Seohyeon vive um casamento sem amor com Han Jinho. Nesta família, as duas acabam se tornando as principais suspeitas de assassinato, em uma cenário de mentiras e traições onde ninguém sabe quem é o verdadeiro vilão.


Enquanto isso, A Favorita também traz uma trama que, desde o início, não revela quem é o vilão da história. Contada em dois pontos de vistas conflitantes, a novela acompanha Donatela e Flora, duas amigas de uma dupla sertaneja de sucesso que interromperam a carreira ao conhecer Marcelo (Flávio Tolezani) e Dodi (Murilo Benício), que se tornaram seus maridos posteriormente.


A rivalidade entre as duas começa quando Donatela passa a desconfiar que Flora está interessada em seu marido — e a situação se agrava quando o homem é assassinado e Flora se torna a principal suspeita, passando 18 anos presa. Ao ser liberada, tenta provar a inocência acusando Donatela do crime. Em meio aos conflitos de versões, o espectador passa grande parte da atração sem ter noção de quem é o culpado.



O Palhaço Coroado x Mulheres de Areia

(Reprodução)

Apesar de retratarem períodos distintos, O Palhaço Coroado (2019) e Mulheres de Areia (1993) têm mais em comum do que se pode imaginar. O dorama, ambientado no período da Dinastia Joseon, e a novela dos anos 90 retratam uma situação semelhante: duas pessoas fisicamente iguais, mas com personalidades opostas.


O Palhaço Coroado segue Lee Hun e Hasun (Yeo Jin Goo) dois homens exatamente iguais, mas o motivo é desconhecido. Apesar da semelhança física, eles não possuem nada em comum em suas personalidades. Lee Hun é um rei tirano e possui muitos inimigos, enquanto Hasun é um homem bondoso e trabalha em teatro, como palhaço. Através de Hasun, Lee Hun vê uma oportunidade de se salvar da possibilidade de ser assassinado e decide colocar o sósia em seu lugar por algum tempo.



Mas o verdadeiro rei não esperava que o palhaço conquistasse a sua corte. O bom coração de Haseon o faz se preocupar com o povo, inclusive com a rainha Yoo Sowoon (Lee Se Young), que aos poucos começa a se abrir com Hasun pela inusitada mudança de personalidade do monarca.


Em Mulheres de Areia há uma situação similar: as irmãs gêmeas Ruth e Raquel (Glória Pires) são completamente opostas. Ruth é calma e gentil, enquanto Raquel é ambiciosa e agressiva. Sem escrúpulos, a gêmea má arma um plano para seduzir o namorado rico da irmã e casar-se com ele. Ruth e Marcos (Guilherme Fontes) se separam, e Raquel consegue se tornar esposa do ex-cunhado. Mas um acidente envolvendo as duas irmãs, faz com que Ruth seja confundida com Raquel. Por acreditar que Marcos estaria em profunda tristeza pelo desaparecimento da esposa, Ruth decide se passar pela irmã gêmea.



Fashion King x Ti-Ti-Ti

(Reprodução)

O nome já entrega, mas vamos lá! Tanto Fashion King (2012) quanto Ti-Ti-Ti (2010) são centrados no mundo da moda, onde há disputa pela coroa de melhor grife do país. No dorama, Young Gul (Yoo Ah In) tem uma pequena fábrica têxtil e vende imitações baratas de roupas de grife, embora tenha grande talento para preparar os próprios designs.


Sem dinheiro, mas com muita força de vontade, ele se une à Gayoung (Shin Sekyung), uma jovem trabalhadora da Jo Boutique, a principal marca de moda do país — que foi recentemente expulsa da loja. Juntos, conseguem fazer com que a fábrica de costura dê certo, mas a concorrente de luxo torna tudo mais difícil.


Já em Ti-Ti-Ti, Murilo Benício e Alexandre Borges interpretam Ariclenes Martins e André Spina, inimigos de infância que se tornaram os maiores estilistas do mundo da moda, assumindo o novo nome Jacques Leclair e Victor Valentim. Assim, ambos disputam por clientes e pela fama de suas grifes nas principais revistas e desfiles do mundo. Ao contrário de Fashion King, a novela carrega um tom menos amigável, mas é igualmente divertida!


Women in the Sun x Amor à Vida

(Reprodução)

Um dos personagens mais emblemáticos da televisão brasileira, sem dúvidas, é Félix (Mateus Solano), de Amor à Vida (2013). Apesar de gerar cenas divertidas, o vilão foi responsável por desenvolver a trama cruel da novela ao abandonar a sobrinha recém-nascida em uma caçamba de lixo.


Mas bem antes de Félix, Shin Doyoung (Kim Jisoo), já tinha feito isso com a própria irmã em Women in the Sun (2008). No dorama da emissora KBS, a mulher tem uma vida invejável, mas esconde um passado terrível. Há anos, Doyoung teve a sorte de ser adotada por um casal rico, que até então não podia ter filhos. Porém, quando seus pais finalmente conseguem gerar uma herdeira biológica, a jovem Doyoung teme perder tudo. Para se proteger, ela decide abandonar a irmã de cinco anos em uma estação de trem.


Os dois personagens acreditaram que suas ações do passado não teriam consequências e jamais seriam descobertos. Mas são assombrados pelos riscos até toda a verdade vir à tona.



Olá? Sou Eu! x Espelho da Vida

(Reprodução)

Em mundos paralelos, Olá? Sou Eu! (2021) seria a reencarnação da novela Espelho da Vida (2018), considerando que, em ambas as tramas, o futuro e o passado se encontram de maneiras parecidas. No dorama disponível na Netflix e baseado no romance “Fantastic Girl”, publicado em 2011, Ban Hani (Choi Ganghee) é uma mulher de 37 anos que leva uma vida de fracassos e frustrações, diferente do que sempre sonhou. Porém, quando está prestes a desistir de viver, sua versão mais jovem, de 17 anos, surge e exige mudanças, pois a adolescente alegre e repleta de autoestima não aceitará ter um futuro decadente.


Com uma pegada mais espiritual, Espelho da Vida acompanha Cris Valência (Vitória Strada), uma atriz que está de visita a uma cidade em que seu novo filme será gravado. Lá, tem a sensação de que já esteve no local e, ao investigar mais a fundo, descobre que Julia Castelo, sua versão existente nos anos 1930, morreu ali e continua habitando o espaço. Ao descobrir o portal que a conecta com sua semelhante, Cris atravessa um novo mundo para tentar entender o motivo que a levou a uma morte tão trágica.


Lie After Lie x O Outro Lado do Paraíso

(Reprodução)

Casar com um homem rico é garantia da vida perfeita? Para essas duas mulheres não. Em Lie After Lie (2020) e O Outro Lado do Paraíso (2017), Ji Eunsoo (Lee Yuri) e Clara Tavares (Bianca Bin), em suas respectivas tramas, se casam com homens poderosos, e encontram um destino perigoso. As protagonistas sofrem com casamentos regados de violência física e verbal, quando parece que não podem ter um rumo mais cruel, as obras surpreendem.


Em Lie After Lie, após tantos abusos por parte do marido, Eunsoo é vítima de uma mentira, na qual é acusada de assassinar o marido e enviada para a prisão. Em Do Outro Lado do Paraíso, Clara cai em uma armadilha criada pela sogra para ser dada como mentalmente incapaz e internada em um sanatório, mais semelhante a uma prisão. As duas mostram ter muito em comum: vítimas de maridos abusivos, sogras cruéis e redes de mentiras que resultam em 10 anos encarceradas.


Além disso, há outro ponto que liga ambas as narrativas: as protagonistas têm filhos, que ainda eram pequenos na época em que foram separados de suas mães. A sede de justiça, combinada com a força de seus instintos maternos, as movem para conseguirem se reerguer. Clara está disposta a se vingar de todos para obter justiça e conquistar o carinho do filho. Eunsoo quer a verdade e pretende se casar com o pai adotivo de sua filha para se aproximar dela como madrasta.



12 Anos de Espera x Chocolate Com Pimenta

(Reprodução)

12 Anos de Espera (2014) e Chocolate Com Pimenta (2003) têm tramas absurdamente idênticas e vocês já vão entender o motivo! Na novela brasileira estrelada por Murilo Benício e Mariana Ximenes, Ana Francisca é uma jovem ingênua e considerada fora do padrão de beleza, que se apaixona por Danilo, sobrinho do candidato a prefeito da cidade Ventura. Apaixonados, eles mantêm um relacionamento em segredo e Ana acaba engravidando.


A princípio, o rapaz a despreza e desacredita que o filho seja dele, enquanto a família também arma tudo para separar os dois e dar um fim na gravidez. Com ajuda de Olga (Priscila Fantin), também apaixonada por Danilo, a família do prefeito arma uma humilhação pública a Ana Francisca, que sai da cidade junto com Ludovico (Ary Fontoura), dono da fábrica em que ela trabalha. Posteriormente, o empresário morre e deixa a herança para Ana, que retorna anos depois como uma das mulheres mais bonitas e poderosas da cidade.



Já em 12 Anos de Espera, os adolescentes Jang Guk (Lee Soyeon) e Yoon Joonsu (Min Namgoong) passam uma noite juntos e Guk engravida. Os jovens pretendem casar após a descoberta, mas a oposição da família faz com que sejam obrigados a se separar. Assim, Guk vai para os Estados Unidos e muda seu nome para Dal Rae, enquanto Joonsu passa por dificuldades e se torna o principal responsável pelo sustento de casa.


Quando Guk retorna, sob nova identidade, Joonsu não a reconhece, mas se apaixona imediatamente. Para ficar junto com seu grande amor, Guk ainda precisa lidar com a família do rapaz e com sua principal rival, que também luta para ter um relacionamento com Joonsu.


Vale informar que todas as produções mencionadas neste texto podem ser encontradas na Netflix, no streaming Viki e no catálogo da Globoplay. Mas, e aí? Lembra de mais algum dorama que seria o paralelo perfeito das nossas novelas brasileiras? Conta para o Café!


댓글


bottom of page