top of page

Tudo sobre "The Moon", filme estrelado por Do Kyungsoo, do EXO, e que já é febre na Coreia do Sul

Atualizado: 1 de ago. de 2023

Produção do diretor Kim Younghwa promete ser um tópico quente com seu lançamento internacional e o grande retorno de D.O. para as telonas!


(Divulgação/CJ ENM Studios)

Um dos filmes mais aguardados do ano na Coreia do Sul não se trata de mais um blockbuster estadunidense — e foge completamente da disputa "Barbenheimer" que tem dominado os cinemas ao redor do mundo desde o lançamento conjunto em julho deste ano. "The Moon", novo lançamento do diretor sul-coreano Kim Younghwa, responsável por filmes como a duologia "Along With Gods", é o tópico mais quente do cinema coreano atualmente, devido ao elenco de peso e um trabalho impressionante de efeitos especiais.


Este também é o primeiro filme de Do Kyungsoo (EXO) após seu retorno do hiatus referente ao cumprimento de suas obrigações militares. O último filme estrelado pelo idol e ator foi o aclamado "Swing Kids" (2018), um ano antes de seu alistamento. Além disso, a produção conta com Sol Kyung Gu ("Memoir of a Murderer", 2017), Kim Hee Ae ("World of the Married", 2020) e Hong Seung Hee ("Navillera", 2021) no elenco principal.



Uma caótica viagem à lua


"The Moon" tem uma proposta semelhante a produções norte-americanas como “Perdido em Marte” (2015), estrelado por Matt Damon, e “Gravidade” (2013), protagonizado por Sandra Bullock. O mais novo filme de Kim Younghwa promete abordar os perigos e tensões de uma viagem à lua liderada pela agência espacial sul-coreana, sob a perspectiva futurista no ano de 2030, diante dos avanços do projeto de exploração lunar tripulada.


Em uma das visitas à lua, o astronauta Hwang Sunwoo (Do Kyungsoo) acaba sendo esquecido e deixado para trás, em meio a solidão e os perigos do espaço. No Centro de Controle localizado no planeta Terra, o ex-chefe da Estação, vivido pelo ator Sol Kyung Gu, se dedica à dura tarefa de trazer o rapaz de volta. Um dos fatores cruciais é o apoio da diretora e general da Estação Espacial (Kim Hee Ae), mas, para que o protagonista consiga ser resgatado com vida, é necessária a resolução das tensões entre ambos os gestores.


O filme é produzido por Choi Ji Sun e tem data de lançamento prevista para 2 de agosto na Coreia do Sul, com produção da CJ ENM Studios e BLAAD Studios. Além da estreia no país, o longa-metragem chegará aos cinemas dos Estados Unidos e já conta com uma ativa agenda de promoções, para a mídia e os críticos, iniciada em seu país de origem.




A ascensão meteórica de Do Kyungsoo


O queridinho dos diretores, das donas de casa sul-coreanas e das EXO-Ls está de volta para o filme de ficção científica que se tornou um tópico quente desde o anúncio da escalação do elenco, em meados de 2021, antes mesmo de o artista ser dispensado do exército coreano. Inclusive, o diretor de "The Moon" expressou sua alegria em poder trabalhar com o idol novamente, devido à experiência positiva que tiveram com a participação dele no elenco de "Along With Gods: The Two Worlds", de 2017, além de afirmar que o membro do boygroup EXO manterá seu sucesso como ator por longos anos.


Com a grande expectativa acerca da atuação de Kyungsoo no papel de astronauta, fãs ao redor do mundo iniciaram campanhas intensas em prol da exibição do filme em seus respectivos países, o que se tornou possível em algumas regiões. Em junho deste ano, aproximadamente dois meses antes do lançamento oficial de "The Moon" na Coreia do Sul, foi anunciado que o filme teve sua pré-venda confirmada para 155 países, incluindo os Estados Unidos e algumas regiões-chave da Europa e da Ásia.


Apesar de não ter ocorrido qualquer confirmação sobre a exibição do filme no Brasil e em outros países da América Latina, os EXO-Ls permanecem divulgando campanhas para que a produção seja distribuída nos cinemas daqui. Embora sejam casos raros, já houve respostas positivas quanto a distribuição de longa-metragens coreanos com membros do EXO no Brasil. Este foi o caso de "The Box", estrelado pelo integrante Park Chanyeol, e que chegou à plataforma de streaming Telecine meses após seu lançamento oficial. O mesmo aconteceu com a recente aquisição de "Pure Love", estrelado por Do Kyungsoo e disponível no Globoplay.


Para os que estão ansiosos para ver trabalhos mais recentes de Kyungsoo como ator, enquanto "The Moon" não chega no Brasil, é possível assistir ao K-drama "Bad Prosecutor", lançado no final de 2022, que já se encontra disponível com legendas em português no Viki Rakuten.




"Barbenheimer" é coisa do passado, a Coreia quer ver "The Moon"!


Há um fator interessante sobre grandes estreias de filmes domésticos na Coreia do Sul. Diferente do Brasil, onde filmes nacionais acabam ficando em segundo plano nas salas de cinema para priorizar blockbusters do circuito norte-americano ou britânico, a produção local do país asiático tem preferência e acaba sendo mais difundida do que lançamentos externos. Esse fenômeno antecede a vitória de "Parasita" (2019), de Bong Joon Ho, na categoria de Melhor Filme do Oscar 2020.


A Coreia do Sul conta com uma indústria cinematográfica muito bem estabelecida, com diversos atores e atrizes aclamados, sem necessidade alguma de depender do reconhecimento de Hollywood para fazer com que seus filmes sejam um sucesso no próprio país. Isso acontece não somente pela inclusão de idols no elenco — como é o caso de Do Kyungsoo — mas, simplesmente, por se tratarem de obras de altíssima qualidade em um país que tende a valorizar as produções locais em diversos setores da arte.



Isso pode ser pensado a partir do sentimento de pertencimento e resiliência dos sul-coreanos, considerando o passado difícil que assolou o país por décadas até sua redemocratização e posterior ascensão econômica nos anos 90. É inegável o sentimento patriótico no ato de valorizar o que vem do próprio país e deixar produções “ocidentais” em segundo plano, na maioria dos casos.


A Hallyu, onda coreana, é uma expressão clara da potência das produções do país asiático ao redor do mundo, possibilitando visualizar sua disseminação e o consumo massivo dentro e fora da Ásia como uma forma de projeção internacional através do entretenimento. É interessante observar a proporção que produções cinematográficas do país têm acumulado nos últimos anos, mostrando a importância de apoiar o cinema para além dos EUA e da Europa.


Confira abaixo um exemplo de como a Coreia do Sul está indo em contramão de diversos outras partes do mundo, com as promoções de "The Moon" dominando os cinemas tanto quanto "Barbie", de Greta Gerwig, fez em outros países.




Está ansioso e curioso para assistir "The Moon"? Comente com o Café com Kimchi em nossas redes sociais!

244 visualizações
bottom of page