top of page

Review | “WHU IS ME : Complex”, do Hui, não é exatamente o que esperamos de grandes vocalistas coreanos — o que o torna ainda melhor

Líder do grupo de K-pop PENTAGON estreia como solista em seu primeiro e divertido mini-álbum



Nota para o álbum de Hui



Lee Hoetaek, mais conhecido como Hui por sua carreira como líder do PENTAGON, lançou seu primeiro EP solo na última terça-feira, 16 de janeiro. O disco contém quatro faixas, intituladas Hmm BOP, MELO, Cold Killer e A Song From A Dream. No novo trabalho, o vocalista conta com a participação dos artistas Park Hyeon Jin, Lee Jin Hyuk e seu companheiro de grupo, Wooseok


Extremamente talentoso, Hui é compositor, produtor e um dos melhores main vocals da terceira geração do K-pop. Expectativas altas foram criadas quando o cantor anunciou seu mini-álbum, deixando diversos fãs eufóricos com a notícia. Em debate, o Café com Kimchi cogitou quais seriam as possibilidades que ele poderia explorar em seu debut e estávamos ansiosos por respostas. Finalmente elas chegaram!






O que se destaca em “WHU IS ME : Complex”?




O primeiro single do mini-álbum é Hmm BOP, que também é a faixa-título. Com seus vocais agudos bem trabalhados, traz um misto de pop, soul contemporâneo e alguns elementos de funk, lembrando muito músicas como Uptown Funk de Bruno Mars e Mark Ronson e Respect de Aretha Franklin. É uma canção extremamente alegre, dançante, descolada, divertida e teatral, deixando bem vivida a identidade do artista. 


Imagem de divulgação de Hui
Imagem / X:CUBE_PTG




A segunda faixa, intitulada MELO, tem participação de Park Hyeon Jin e muda o escopo para uma mixagem com elementos de EDM, trazendo um refrão viciante que não sai da cabeça. E, um dos pontos fortes da música está em um momento mais “falado” na música, com a voz de Hyeon Jin dando uma quebra na linearidade dos vocais. 



“Cold Killer” chega com um pop punk e o pop rock mais presentes, lembrando muito a estética sonora de boybands dos anos 2000. A música é forte do início ao fim, e, ao mesmo tempo, é extremamente gostosa de ouvir e cantar. A participação de Jinhyuk faz toda diferença nos vocais poderosos apresentados. 



A quarta e última faixa, A Song From A Dream, é a que conta com a presença de Wooseok e é poderosa ao misturar R&B, elementos de trap e pop rock, trazendo uma cadência que é possível notar em bandas como The RoseDay6. “Música de show” é como eu definiria essa música, cuja energia, o ritmo, os vocais e as quebras trazem a impressão sensorial de estar presente em um concerto. 


Naturalmente, quando se tratam de grandes vocalistas sul-coreanos, a tendência é escolher o ritmo de balada em debuts de álbuns ou singles solo — provavelmente para destacar os vocais e, de certa forma, provar o potencial que o artista tem. Porém, Hui trouxe vertentes diferentes em WHU IS ME : Complex, composto por elementos experimentais e mais animados, que trazem um som mais dinâmico e característico do nome que escreveu sucessos como SHINE, do PENTAGON, e Energetic, do WANNA ONE.






23 visualizações
bottom of page