top of page

Assim como Hierarchy da Netflix, esses 4 doramas prometeram muito e entregaram pouco

Nova série coreana da Netflix no estilo de "Elite" falhou em entregar um plot coerente e uma vingança impactante

Imagem promocional de Hirarchy, dorama da Netflix.

(Divulgação/Netflix)


A minissérie coreana "Hierarchy" estreou na Netflix em 7 de junho e, até a data de publicação desta matéria, continua entre as Top 10 séries da plataforma. Esse desempenho, no entanto, surpreende aqueles que já assistiram aos sete episódios da trama de vingança disponíveis no streaming. Nas redes sociais, o dorama tem recebido uma avalanche de feedbacks negativos, e parece haver um consenso que a série entregou pouco (ou nada) do que prometeu.


Estrelado por Lee Chae-min (de Intensivão do Amor), Roh Jeong-eui (de Caçadores do Inóspito) e Kim Jae-won (de Amor e Outros Dramas), Hierarchy apresentou a história de um jovem vingativo recém ingressado em uma escola de elite. Assassinato, intrigas e bullying eram algumas das promessas da trama, mas o foco em um triângulo amoroso morno e o desfecho mal elaborado acabaram frustrando quem esperava algo tão bom quanto A Lição (2023) ou My Name (2021) no gênero de doramas de vingança.



A decepção com um título ou outro é inevitável e faz parte da essência de um dorameiro raiz, mas é sempre mais difícil quando uma expectativa é frustrada. O Café com Kimchi listou abaixo 4 doramas que prometeram muito antes da estreia ou nos primeiros episódios e tiveram uma entrega bem inferior ao que o público estava esperando. Confira!


4 Doramas que prometeram e não entregaram


O Herdeiro Impossível (2024)


Muito se esperou de The Impossible Heir, o dorama de vingança da Disney+ lançado em fevereiro deste ano. A trama gira em torno da busca de Kang In-ha (Lee Jun-young) em ser reconhecido como o herdeiro de um grande conglomerado e sua relação com Han Tae-oh (Lee Jae-wook), um amigo de infância. E a série até se desenvolve — o problema é o tempo que demora para isso.



Numa tentativa falha de intensificar o suspense, a história se arrasta e o clímax é preservado ao máximo para os capítulos finais. Sabe aquela sensação de que a história só começa a partir da metade da trama? É exatamente o que vemos aqui. A atuação apática dos protagonistas acentua a lentidão do roteiro, e o grande destaque negativo nesse sentido fica com a personagem Na Hye-won (Hong Su-zu), que chegou a viralizar por conta de sua inexpressividade.


Com 12 episódios, The Impossible Heir está disponível no Star+.



Agora, Nós Estamos Terminando (2021)


Com a gloriosa Song Hye-kyo (de A Lição) e o Jang Ki-young (My Mister) trabalhando juntos em Now, We're Breaking Up, era de se esperar que a série da SBS fosse um sucesso de críticas e de audiência, mas ela não foi nem um nem outro. O romance entre uma designer da indústria da moda e um fotógrafo freelancer bem-sucedido falhou em encantar o público. Hoje o k-drama é lembrado mais pela participações do Sehun (EXO) e da Yura (Girl's Day).


A grande insatisfação com Now, We're Breaking Up se deve ao sentimento de potencial desperdiçado. O casal protagonista entrega pouca química ao longo dos 16 episódios da série, e nem mesmo algumas cenas mais calientes foram capazes de convencer a audiência a abraçar essa história de amor. Atuações pouco enérgicas e personagens unidimensionais também contribuíram para que o k-drama não atingisse as expectativas do público.



Rugal (2020)


Rugal é mais um dorama original da Netflix que, assim como Hierarchy, transborda furos de roteiro ao ponto de se tornar irreconhecível com o decorrer dos episódios. Na série inspirada por um webtoon, o policial Kang Gi-beom (Choi Jin-hyuk) perde a esposa — vítima de um dos assassinos do grupo criminoso que ele estava investigando — e também o sentido da visão. Cego, ele é recrutado para uma força-tarefa especial e equipado com olhos biônicos, que lhe garantem diversas habilidades especiais.


A frustração de boa parte do público se dá pela falta de aprofundamento em diversos temas, ao mesmo tempo que a série se estende demais, em um ritmo arrastado que não leva a nenhum lugar. A ação, os efeitos visuais e a atuação do elenco são ótimos e impressionam nos episódios iniciais, mas não sustentam sozinhos a trama cheia de pontas soltas. Sequer é possível saber qual a atividade do grupo criminoso que está na mira do policial protagonista!


Com 16 episódios, Rugal está completo na Netflix.




Love Alarm (2019)


Achou que ele ficaria de fora? É impossível falar de frustração na dramaland e não citar Love Alarm, série da Netflix com duas temporadas no streaming. No drama, um aplicativo de celular avisa aos usuários quando alguém que gosta deles está por perto, e é dessa forma que Kim Jo-jo (Kim So-hyun) se vê em um triângulo amoroso com os amigos de infância Lee Hye-yeong (Jung Ga-ram) e Hwang Sun-oh (Song Kang).


Aqui, a decepção não fica por conta de um super elenco mal aproveitado ou o ritmo lento dos episódios, mas sim com o desfecho imprevisível do triangulo amoroso. Dos telespectadores mais românticos aos mais céticos e pessimistas, é difícil encontrar alguém que entenda a escolha final da protagonista, que, além de incoerente com o roteiro, esnoba o melhor personagem da série. Assim fica difícil defender, né?



Love Alarm conta com 14 episódios e está disponível na Netflix.


Que outros doramas você acha que prometeram muito e entregaram pouco? Conte para o Café com Kimchi nas nossas redes sociais!

60 visualizações

Comments


bottom of page