top of page

Review | Em "Right Place, Wrong Person", RM não faz rodeios e fala tudo o que pensa em versão mais madura

Líder do BTS lança projeto solo durante serviço militar com parcerias internacionais e 11 faixas inéditas



RM do BTS em Right Place, Wrong Person
(Divulgação / HYBE)

Em 2022, o RM do BTS lançava Indigo, seu primeiro álbum solo, que foi um registro de sua vida enquanto estava na casa dos 20 anos. Reflexivo e sincero, o projeto pincelava o seu amadurecimento em um processo de descobrir quem realmente era. Agora, prestando o serviço militar obrigatório, assim como os outros integrantes do grupo, o rapper acaba de lançar Right Place, Wrong Person.


Assim como Indigo falava sobre suas emoções, mas de uma forma mais firme e apresentando um RM que definitivamente não tem medo de falar o que pensa, o novo projeto também segue esta temática.


Com um total de 11 faixas, todas escritas pelo Namjoon, o álbum liberado na última sexta-feira (24) chega como um presente para o fandom ARMY; que mesmo tendo que esperar pelo retorno completo do BTS, tem sido alimentado com projetos preparados pelos artistas antes de se alistarem.



Com participações internacionais, Right Place, Wrong Person foi reconhecido pelo fandom como um dos trabalhos mais maduros do RM. Este relato se confirma ao analisarmos as letras das músicas do comeback. Antes do lançamento do álbum, o single Come back to me deu uma prévia do que seria entregue duas semanas depois. 


No clipe da faixa, dirigido por Lee Sung Jin — criador da série Treta da Netflix —, RM transita por diferentes cenários em uma sequência que parece contar uma história; ou melhor, diferentes histórias e possíveis versões da sua vida. Com uma vibe bem de bossa nova, a canção ainda contou com a composição de Oh Hyuk, da banda HYUKOH.



Ao explorar os cômodos do set, sempre em estado de fuga, RM apenas se sente tranquilo quando encontra a si próprio. Na letra, o cantor escreve “você é minha dor, divina, divina”, parecendo reconhecer que a dor também pode trazer coisas boas — ou como se aceitasse como elas são. Além disso, o vídeo de Come back to me também apresenta diversas celebridades, como os atores de séries como Pachinko, Treta, A Lição, Sweet Home e All of Us Are Dead.



RPWP: bem-vindos à mente de RM


A faixa principal do Right Place, Wrong Person é LOST!, que como o próprio nome indica, é sobre a confusão mental que o eu lírico enfrenta. Na letra da música, RM canta sobre se sentir perdido; tentando encontrar seu caminho como pessoa e artista.


LOST! parece falar, também, sobre o processo de experimentar novas coisas. O clipe da canção é cheio de elementos, jogos de câmera e brincadeiras que deixam todo o conjunto muito divertido, e faz com que o espectador queira saber o que vai acontecer na resolução, e sobretudo: o que se passa na cabeça do RM?


Nunca estive em uma boate antes / fui a uma delas / nunca me senti tão livre


Já na ordem da tracklist, a música-título do CD cumpre a tarefa de abrir o comeback. Com o uso de muitos sintetizadores — elemento que aparece outras vezes no projeto —, efeitos de eco e a mistura de vocais, é como se estivéssemos entrando na mente de RM. Repetindo o nome da faixa, quase como um mantra, o instrumental é uma prévia do ritmo que veremos nas canções seguintes. 


E então vem NUTS, onde o cantor parece falar sobre as frustrações que podem surgir a partir de nossos relacionamentos. Ao repetir o refrão “eu poderia fazer este lugar certo para você”, RM está em uma tentativa ou desejo de alinhar as coisas. Os instrumentos chamam a atenção logo de cara, com um baixo que envolve o ouvinte, e particularmente, NUTS é tão boa que teria potencial de ser um single.




Inclusive, um dos pontos altos de NUTS é a ponte que rompe com o baixo repetitivo e ganha uma guitarra repentina, que funcionou muito bem junto ao rap.


Porém, a cereja do bolo é a transição completamente imperceptível para out of love, quando RM compete com a guitarra na agressividade e afirma: “você pode foder meu corpo. Não posso foder minha mente”. Falando nesta canção em específico, um trecho que chamou a atenção dos fãs na web foi o verso “fumar mata, eu sei”; possivelmente referenciando questões pessoais de Namjoon.



Domodachi, em parceria com a rapper e cantora britânica Little Simz, é puro jazz. E surpreendentemente, é a artista quem traz o rap mais frenético para a música. O nome escolhido, aliás, é uma junção de duas palavras japonesas que pode ser traduzida como “obrigada, amigo”. E passando para outra faixa, ? (Interlude) com participação da dupla Domi & JD Beck — é simples e cumpre sua função, mantendo o mesmo ritmo apresentado até agora no CD. 


Ao chegar no meio do álbum, a música Groin fala sobre sentir a pressão das responsabilidades que são colocadas sobre a vida. Este aspecto é algo que pode ser interpretado não apenas pelo fato de RM ser uma figura pública, como também o líder do BTS. Os instrumentos de corda tomaram conta das últimas faixas de Right Place, Wrong Person e eles continuam aqui, juntos de um refrão chiclete. 


RM do BTS em Right Place, Wrong Person
(Divulgação / HYBE)

E depois de praticamente desabafar, Heaven é como o céu: ela leva o ouvinte para um lugar de calmaria. Na faixa, RM fala a respeito de encontrar uma paz inquebrável, mostrando que a libertação funcionou: “estou me sentindo tão bem aqui comigo”. Diria que esta é uma canção bem parecida com o que o rapper já costuma fazer, e serve como um respiro depois de tanta informação ao longo das outras músicas. 


Around the world in a day, com Moses Sumney, é um grande questionamento sobre o que é certo ou errado nas nossas vidas, mas RM descobre que “só o tempo resolverá” tal questão. E que faixa fluida, leve e agradável! O ritmo mais lento dela nos conduz para Credit roll, um espaço em que o cantor expressa gratidão enquanto se pergunta se depois que os créditos rolarem para o CD, as pessoas ainda estarão ao seu lado. 



Quem diz o que é certo ou errado em Right Place, Wrong Person do RM? 


Em "Right Place, Wrong Person", RM não faz rodeios e fala tudo o que pensa em versão mais madura
(Divulgação / HYBE)

Consistente e sinceramente completo, Right Place, Wrong Person é o projeto em que o líder do BTS afirma suas convicções e diz tudo o que pensa — ao mesmo tempo em que tem novos questionamentos como qualquer outra pessoa. A sensação de estar "perdido em sua própria mente", algo que definitivamente não é agradável, pode resultar em clarividência, autoconhecimento e libertação, afinal.  


Ao se entregar para essa trajetória, RM parece ter finalmente encontrado as respostas para algumas de suas maiores perguntas. Além disso, ele enfim entende que não é preciso se prender ao que é "certo ou errado" segundo as outras pessoas; seja tratando de onde você está, pessoal e profissionalmente, seja com os relacionamentos cultivados ao longo da vida, os momentos ruins e bons, e muito mais.




Durante o programa Mini & Moni, em participação divulgada recentemente, RM e Jimin apreciam o álbum e discutem sobre cada uma das faixas. Na ocasião, ele comenta sobre a sensação de estar errado em determinadas ocasiões da vida, e se questiona sobre quem criou as regras de tal maniqueísmo. “Em todas as situações e relacionamentos, quando estamos no mundo, o conceito de 'certo' e 'errado' pode ir e voltar. Você pode se tornar a 'pessoa errada' ou a 'pessoa certa' a qualquer momento", diz RM.


O segundo álbum do cantor é maduro, e mostra a transparência que ele conseguiu encontrar em si. Diferente do tudo que já fez antes, a produção das músicas inéditas de RM, apesar de ser uma montanha-russa, sabe quando deve deixar o ouvinte respirar um pouco.





42 visualizações

Commenti


bottom of page