top of page

Jack In The Box: J-Hope mostra um novo lado artístico e criatividade em álbum conceitual

Atualizado: 5 de fev. de 2023

Rapper do BTS estreia o lançamento de trabalhos solo do grupo e mergulha em uma versão mais intensa

(Reprodução/ HYBE)

Este ano, o BTS completou nove anos de carreira e lançou um álbum nostálgico com os grandes sucessos do grupo. Durante uma live de comemoração de aniversário, os integrantes anunciaram que passariam a focar em atividades individuais, o que ocasionou espanto para alguns fãs e insegurança em relação ao futuro do grupo. Felizmente, os membros reforçaram que isso não se tratava do tão temido hiatus, mas sim de uma nova fase.


Há um mês o ARMY estava preocupado com tal assunto, mas na última sexta-feira (15) o rapper J-Hope lançou o seu mais novo álbum completo; confirmando que o grupo permanece ativo e produzindo. Jack In The Box, composto por dez faixas, é o primeiro trabalho solo dessa nova fase e trabalha questões como paixão, autoconhecimento, agonias e ansiedades pessoais.



No dia 10 de julho, foi lançado o pré-single MORE que impressionou os ouvintes pelo estilo inusitado apresentado pelo rapper, e serviu como uma porta de entrada para o que viria em seu novo álbum. J-Hope apostou no rock, mas sem deixar de fora o hip-hop, e o artista soube conectar bem os dois estilos. A faixa fala sobre suas aspirações pessoais e sobre querer conquistar ainda mais do que já realizou durante seus anos de carreira. J-Hope canta enquanto sua voz disposta com os fortes acordes de guitarra no refrão pesado.



Apesar de parecer apenas um novo conceito, seu trabalho inédito trata-se de um desabafo pessoal, algo que o rapper também fez antes em Hope World, sua última mixtape. Apesar disso, dessa vez é mostrado um lado mais sombrio, envolvido pelo peso do rock e do hip-hop.


Durante todos esses anos, J-Hope abraçou o seu nome artístico, se apoiando em uma persona alegre, que anima as pessoas ao seu redor; e chegou a ficar conhecido como o “raio de sol” do grupo por sua personalidade brilhante. No entanto, o personagem criado pelo artista em Jack In The Box não representa seu verdadeiro eu — por isso abrir espaço para demonstrar seu outro lado parece ser difícil tanto para o artista quanto para os fãs, que podem estar acostumados com outra atmosfera.




A história contada através de um mito em Jack In The Box


Jack In The Box faz referência ao mito da Caixa de Pandora: uma caixa misteriosa que, ao ser aberta, libera todos os males do mundo; e a esperança é a única coisa que resta. A ideia é de J-Hope no disco estaria "dentro dessa caixa", algo que está ligado ao seu nome artístico que carrega a palavra "esperança". Esta relação costura o conceito do álbum e reforça o retrato de uma nova face do artista, que revelou em entrevista à revista Rolling Stone que desejava trabalhar com esta alusão há um bom tempo.


O álbum se inicia com a INTRO em uma voz feminina lendo trechos sobre esse mesmo mito, e passando de forma sutil em transição para PANDORA'S BOX, faixa que começa com um piano dramático e sofre uma queda brusca com um fundo mais grave. O rap aqui fala sobre a pressão da fama e o esforço mental desgastante de manter uma persona. A música faz transições muito equilibradas com alterações ora sutis, ora repentinas, cortando o fluxo da música, mas ainda assim de forma agradável.



(Reprodução/ HYBE)

Em seguida, STOP tem um ritmo linear que se altera apenas em pequenas partes onde entram falas ao fundo do instrumental, um artifício que funcionou bem na faixa. Ainda com fortes elementos de rock que conversam entre si, J-Hope fala sobre o pavor dos males da humanidade e deseja que isso pare, abraçando novamente o conceito do disco


A conduta dos homens é pior que a dos animais. Estava muito sujo. Isso é muito difícil.

E em seguida, EQUAL SIGN se destaca das anteriores tanto na letra quanto em seu ritmo. Com uma melodia upbeat, o rapper explora seus vocais na música, algo que teria sido interessante de se ver mais em outras faixas. Aqui, J-Hope ainda fala sobre as problemáticas da atualidade, mas com um pouco mais de otimismo, desejando que as pessoas se enxerguem de forma igual e entendendo que o começo de uma mudança pode estar em nós mesmos.


O mundo é tão grande e a mente das pessoas é fechada.

Na sequência chega MUSIC BOX: REFLECTION como uma transição, uma mistura de uma respiração ofegante junto ao som de uma caixa de música. Todo o conjunto gera ansiedade no ouvinte com a ajuda de um fundo grave, e termina dando espaço para WHAT IF, uma canção cheia de influência do hip-hop dos anos 2000 e que traz a famosa sample de Old Dirty Bastard em Shimmy Shimmy Ya. Aqui, o cantor repete o “e se”, o que denota seus questionamentos e inseguranças como artista.


SAFETY ZONE é uma canção comovente que foge completamente da atmosfera das faixas anteriores em um R&B sutil, mas cheio de rap. Esse estilo lembra as músicas presentes na mixtape Hope World, algo que combina muito bem com os vocais do rapper e que de certa forma serviu como respiro para a tracklist escolhida. Na faixa, J-Hope fala sobre a busca de um local seguro onde possa recarregar as forças e descansar.



A energia da faixa anterior é mantida em FUTURE. Uma música que soa mais familiar com a personificação de J-Hope e traz uma melodia divertida e leve, com um coral infantil ao fundo. Por fim, ARSON fecha a caixa do rapper de forma agressiva; a música começa com a voz do cantor repetindo palavras, e conforme a melodia se desenvolve, abre-se espaço para o seu rap intenso. ARSON é uma música explosiva e forte que faz jus ao nome, com a presença de elementos do hip-hop old school.



O novo trabalho do rapper do BTS é surpreendente, tanto estética quanto musicalmente. J-Hope não se prendeu muito às tendências musicais de hoje, e apostou em um álbum íntimo que expõe suas inseguranças e apresenta um lado mais sombrio de sua persona artística. A escolha de faixas se mantém no universo do hip-hop, mas traz elementos que desafiam sua zona de conforto; e isso é difícil. O rapper foi ousado em algumas faixas que podem não cativar tanto o ouvinte, mas que valorizou o conceito escolhido. Jack In The Box reflete a flexibilidade de um artista completo e que se preocupa em ousar, mesmo que isso não agrade a todos.



Ouça Jack In The Box no player do Spotify logo abaixo:



Nota: Lembrando que o papel da nossa crítica, independente de positiva ou negativa, é apontar elementos para você construir a sua opinião sobre aquela obra; seja uma música de K-pop ou dorama. Está tudo bem concordar ou discordar da gente, mas não esquece de dizer o que você achou desse lançamento nos comentários, no Twitter ou no Instagram do Café!

278 visualizações

Comments


bottom of page