top of page

Reage, mulher, bota um tênis: ITZY arrasa em "Sneakers", faixa-título do novo álbum

CHECKMATE foi lançado na madrugada desta sexta-feira (15); confira a nota do lançamento ao final da crítica

(Divulgação / JYP Ent.)

Quem é fã do ITZY pode, enfim, comemorar. O grupo feminino da JYP Ent. teve seu esperado retorno na madrugada desta sexta-feira (15), com o álbum CHECKMATE. A novidade que já se encontra disponível nas plataformas musicais conta com sete faixas inéditas, entre as quais está a título SNEAKERS, que também ganhou uma versão em inglês. E pra quem sentia falta da irreverência sonora do girlgroup, este lançamento é um banquete.


Já na title, o time composto por Yeji, Lia, Ryujin, Chaeryeong e Yuna mostra ao que veio com uma faixa poderosa e performática. Em termos de ousadia, este é um trabalho mais tímido do que os anteriores do grupo, mas que, ainda assim transborda originalidade. A música usa boas referências para despertar a nostalgia no ouvinte; além de, é claro, chamá-lo para calçar os tênis e ir dançar.




O Music Video é uma experiência à parte. A produção de milhões apresenta o quinteto como princesas cheias e atitude e, depois, como militares de uma espécie de agência espacial. Além de criativos, os cenários e figurinos enchem a tela de cores de efeitos que são uma delícia de acompanhar. Os tênis (sneakers) também têm um destaque especial no MV, e é um modelo mais surpreendente do que o outro. Confira abaixo.


Um álbum ao melhor estilo ITZY de ser


É sempre um misto de prazer e apreensão revistar os trabalhos deste grupo que, se não criou a tendência do experimentalismo nos atos da 4ª geração do K-pop, foi um dos responsáveis por fazer este formato polêmico dar resultados, ser replicável e atrair o público. O ITZY é movido a decisões sonoras no mínimo duvidosas, mas que, de algum modo, funcionam; e CHECKMATE é um exemplo disso.



Os tambores na introdução de RACER anunciam a audácia da faixa já nos segundos iniciais, e o conceito ousado é mantido em todo desenvolvimento da canção. O ápice — ou melhor, o toque tão característico do girlgroup — aparece aqui na forma do refrão, mais lento e de ritmo bem marcado. É uma música que, mesmo sem um suporte visual (clipe ou dance practice), emana a pegada girl-crush do ITZY.


Em WHAT I WANT o grupo tropeça. A faixa é enjoativa já na intro', e a repetição das palavras no refrão não ameniza em nada a primeira impressão. Alguns versos tentam levar a música para a direção de um hip-hop old school, mas sem sucesso. Há uma quebra na qualidade do álbum aqui, porém, nada muito grave para quem estava ansioso pelo lançamento. Apesar do pesares, há de se admitir: o pré-refrão, isolado, é delicioso.


Free Fall traduz a proposta do experimentalismo do ITZY como nenhuma outra faixa nesta coletânea. Ela é repleta de elementos que poderiam arriscar o desempenho da música; todavia, a combinação improvável dá certo. Ela é divertida, original e inusitada, e não é longa o bastante para causar uma estranheza fatal ao ouvinte. Não vai te encantar à primeira escuta, mas talvez seja o caso de ouvir outra vez.


Com 365 o álbum entra novamente em uma curva decrescente. Ela é agressiva e robótica logo de cara, demorando a se desenvolver para além disso. No refrão, reencontramos os tambores que, à esta altura, se repetem demasiadamente e comprometem o avanço do álbum de forma fluida. Apesar de arrojada, a faixa é monótona, com momentos de impacto previsíveis de mais para serem, bem, impactantes.


Por fim, um respiro de ar fresco. DOMINO consegue redimir quase todas as falhas do álbum com pouco mais de três minutos de duração. A faixa encerra o compilado com uma leveza irreconhecível, mas que cai muito bem ao grupo. O destaque aqui não é o autotune, o ritmo marcado ou os tambores, mas sim o vocal imaculado das integrantes. E que venham mais faixas assim no próximo lançamento!



Nota: Lembrando que o papel da nossa crítica, independente de positiva ou negativa, é apontar elementos para você construir a sua opinião sobre aquela obra; seja uma música de K-pop ou dorama. Está tudo bem concordar ou discordar da gente, mas não esquece de dizer o que você achou desse lançamento nos comentários, no Twitter ou no Instagram do Café!



105 visualizações

Comments


bottom of page