top of page

Forever 1: Girls' Generation retorna alegre, colorido e melhor do que nunca

Atualizado: 4 de fev. de 2023

O muito aguardado retorno do SNSD ocorreu hoje (05); confira o que achamos do álbum

(Reprodução / SM Entertainment)

É difícil não gostar do Girls' Generation. A brilhante carreira do grupo completa 15 anos esse ano, e qual a melhor forma de comemorar se não um comeback depois de 5 anos de hiatus? Pensando exatamente dessa forma, as integrantes Taeyeon, Sunny, Tiffany, Hyoyeon, Yuri, Sooyoung, Yoona e Seohyun resolveram se encontrar para lançarem o sétimo álbum de estúdio do grupo.


Alguns fanchants de K-pop são icônicos e se tornam conhecidos até para aqueles que não são fãs — esse é o caso do Girls' Generation. O canto de “Agora, SNSD / No futuro, SNSD / Para sempre, SNSD” é ouvido em todas as performances e se tornou uma marca registrada dos SONEs, fandom do grupo. Dessa forma, é difícil não pensar que Forever 1, nome da faixa-título e do álbum de retorno, é a resposta das integrantes para as palavras que as acompanharam nesses 15 anos de carreira.



Forever 1 não precisava de muito, e ainda assim superou expectativas! Confira mais sobre o que achamos após a publicidade:



Para sempre, Girls' Generation


(Reprodução / SM Entertainment)

No K-pop, uma faixa comemorativa geralmente tem dois caminhos para seguir: o sentimental e emotivo, buscando tirar emoções do ouvinte e deixá-lo pensativo sobre o motivo da comemoração, ou ser uma canção feita puramente para celebrar, e o Girls' Generation opta pela segunda opção pela segunda vez. Forever 1, desde o primeiro segundo, te convida para festejar os 15 anos de grupo junto delas.


A canção é nostálgica, remetente ao que grupos de gerações antigas faziam, e os toques de synth adicionados aos versos e pré-refrão servem como uma antecipação para o refrão que está prestes a vir… E que refrão! Ele é grandioso e cantado em coro, característica principal de faixas-título da SM Entertainment, mas traz mais emoção nesse caso porque mostra que, depois de todo esse tempo, elas ainda estão cantando juntas — como a própria letra diz, “Meninas, nós somos para sempre”. Conforme apresentado no primeiro MV teaser, o sample da música de debut, Into The New World, pode ser ouvido durante a bridge, e todas essas adições singelas tornam Forever 1 ainda mais especial do que já é.


O clipe é um complemento tão bom quanto a faixa para ela. Apesar de simples, ele carrega muito significado; diversos takes fazem referência às carreiras solo de cada uma, como Taeyeon cantando sozinha para uma plateia, Tiffany viajando em um avião e Hyoyeon atuando como uma DJ, e mostra que, ao final dessas jornadas, elas se juntam novamente. É um detalhe pequeno que pode passar despercebido, mas que adiciona ainda mais carga emocional ao lançamento.



Lucky Like That é exatamente o tipo de faixa que você espera em um álbum como esse. A letra é composta por brincadeiras com alguns detalhes do grupo — o uso da palavra 소원 (sowon), que, traduzida, significa “desejo” e também é a pronúncia de SONE, além do verso “Nos encontramos no nosso novo mundo”, que é o conceito do debut —, entrando no tão conhecido clichê de canção especial para os fãs. A melodia é amorosa e confortável de ser ouvida, com um destaque especial para a guitarra ao final, que deixa a pergunta no ar: como seria um lançamento rock do SNSD?


A que vem em seguida, Seventeen, também pode ser interpretada como uma mensagem para os SONEs, já que fala sobre se reencontrar com alguém e sentir como se tivesse 17 anos de novo, idade que a maioria das integrantes tinha na época da estreia. Essa dobradinha fecha com chave de ouro a parte do álbum que é obviamente direcionada aos fãs, sendo duas canções acima da média e que fazem sentido com o grupo.


Villain, por outro lado, rompe com a série de músicas fofas para trazer o conceito femme fatale à tona. Pode até parecer uma mudança brusca, mas ela é tão boa que você se perde na experiência de ouvinte. Ela também entrega o uso da palavra Kwangyaserá que podemos esperar o SNSD sendo as vilãs de um próximo capítulo?


(Reprodução / SM Entertainment)

Me chame de vilã porque estou ocupada arrasando” é a transição perfeita para You Better Run, que vem logo em seguida. A primeira ouvida deixa uma sensação estranha devido às escolhas melódicas da produção, mas é uma faixa envolvente que te dá vontade de ouvir de novo para entendê-la, e é assim que o Girls' Generation vende a canção.


Closer é a sexta faixa na tracklist, mas parece ser exatamente o ponto médio de todas as b-sides. Ela é mais suave que suas antecessoras e menos lenta que as sucessoras, trazendo um conforto e uma atmosfera muito agradável para o ouvinte. É o tipo de canção que combina com qualquer momento e qualquer lugar, podendo se encaixar em qualquer playlist. Os elementos de jazz ajudam a melodia a ser ainda mais envolvente.


As próximas duas faixas são um pouco avulsas e ficam maçantes por estarem em ordem. Mood Lamp é uma mid-tempo um tanto ok, que perde parte do seu brilho por ser colocada logo após de Closer, que é acima da média. Summer Night é fofa, parecendo se encaixar perfeitamente no fundo de vídeos de viagem de férias, vlogs de rotina e no rádio de volta da praia, fazendo jus ao título.


Freedom é a mais dançante das quatro, voltando ao conceito mais retrô que tomou o K-pop nesses últimos anos. Ela parece uma faixa que saiu diretamente da década de 80, só que um pouco mais moderna, e se encaixaria melhor se viesse um pouco antes na tracklist. Paper Plane é a que encerra o álbum, tendo uma melodia sonhadora e inspiradora que fecha perfeitamente esse conjunto de dez faixas.


(Reprodução / SM Entertainment)

O Girls' Generation não tinha nada para provar à ninguém. Elas são um grupo com 15 anos de carreira, representantes da onda Hallyu desde o início e já serviram tudo que precisavam para um girlgroup. Mesmo assim, elas escolheram dar o melhor delas nesse lançamento mais que especial. Forever 1 não é objetivamente perfeito, passando por percalços na ordem da tracklist e tendo mais canções que o necessário, mas nenhum desses detalhes é grande o suficiente para apagar o significado desse comeback, que é bom e puramente bom, sem precisar fazer malabarismos para se justificar. Mais uma vez, o Girls' Generation mostra ao que veio e ilustra porque são chamadas de o grupo da nação.


Ouça "FOREVER 1", novo álbum do Girls' Generation, abaixo:




E aí, o que achou do retorno do Girls' Generation? Não se esqueça de contar para o Café nas redes sociais!




1 comentario


Análise incrível!

Me gusta
bottom of page