top of page

Conexão Brasil-Coreia: Os melhores exemplos de bossa nova no K-pop

Atualizado: 8 de fev. de 2022

TWICE e Girls' Generation na MPB: conheça alguns artistas que já apostaram no gênero brasileiro

(Reprodução/JYP Entertainment/Hunus Entertainment/The Black Label)


No dia 25 de janeiro, comemorou-se o Dia Nacional da Bossa Nova, coincidindo com o aniversário de Tom Jobim, um dos maiores compositores brasileiros. Nascida na década de 50, a bossa nova é caracterizada pelas fortes influências do jazz norte-americano e do samba carioca. Análogo ao período histórico do país, que passava pela industrialização, o gênero foi marcado pela vontade de músicos jovens da classe média-alta que buscavam inovar as composições e trazer o conhecido samba para um âmbito mais moderno.


A bossa nova rapidamente se espalhou pelo mundo, justamente pelo seu caráter fresco e fácil de ouvir. Um dos vários destinos foi a Coreia do Sul, a casa do k-pop, originando diversas canções que bebem da fonte desse gênero tão rico! Sendo uma indústria que se inspira, constantemente, em estilos fora do eixo asiático — trazendo colaborações com artistas latinos, por exemplo —, ela não deixaria essa oportunidade passar.


Comemore com o Café com Kimchi essa conexão entre os dois gêneros musicais! Confira abaixo uma seleção especial:



1. Butterfly - Yuri (SNSD)


Um componente especial no excelente EP de debut da solista, Butterfly foi definida como um pop suave pela Billboard, mas é bem mais que isso: os acordes do violão em muito lembram playlists de músicas brasileiras, e a canção flui tão bem quanto o amor narrado pela letra.



2. Alcohol-Free - TWICE


Esse é o item mais recente da lista. Com Alcohol-Free, o TWICE apostou em fortes instrumentos de percussão no refrão e riffs de instrumentos de corda para transmitir de forma impecável o sentimento de viver o verão. Apesar de ter estranhado o paladar de alguns, Alcohol-Free é um exemplo de bossa nova no K-pop que é, com toda a certeza, easy to the mouth and tummy, like a drink made of honey. O grupo já apostou na bossa nova outras vezes, como em Jaljayo Good Night, e nós podemos aguardar por mais, já que o resultado é sempre incrível!




3. OUCH - Day6


Apesar de serem uma banda conhecida por sempre trazerem canções mais agressivas e puxadas para o rock em seus álbuns, o Day6 ousou ao escolher a bossa nova para representar o ressentimento de um relacionamento que já não funciona. Eles incluíram até um pequeno break de trap para modernizar o gênero!



4. Obliviate - IU


O Modern Times, álbum do qual Obliviate faz parte, é, em sua totalidade, um exímio trabalho dentro do k-pop, utilizando do jazz em todas as canções. Obliviate é um perfeito exemplo disso, com o riff do violão de nylon embalando a letra — que faz referência ao feitiço de apagar memórias de Harry Potter — e podendo se encaixar numa playlist qualquer de MPB. É, definitivamente, um dos melhores exemplos do encontro desses dois gêneros. Ainda no álbum, temos Havana como outro destaque.



5. Question Mark - Suzy


Aqui, a princesa da Coreia recorreu ao violão e ao piano, além de usar pratos e outros de percussão, para mergulhar de vez na bossa nova. A voz doce de Suzy faz com que Question Mark seja uma canção acima da média, que inova ao incorporar totalmente um gênero estrangeiro.




6. One Afternoon - Girls' Generation (SNSD)


One Afternoon tem um título que casa perfeitamente com a sensação que traz — ouvi-la durante a tarde, especialmente numa chuvosa, enquanto se toma um café, eleva a experiência a enésima potência. O piano típico do jazz é bastante evidente nela, e os acordes que você ouviria em qualquer exemplo de MPB estão presentes durante os versos.



7. My Little Lover - Lovelyz


Interpretada por duas membros, My Little Lover começa na retaguarda, acompanhada somente pela percussão suave, e vai trazendo o restante dos instrumentos aos poucos. Ela se assemelha mais ao bossa lounge — uma derivação da bossa nova que utiliza mais do jazz e da música ambiente —, mas ainda evoca todos os elementos clássicos da boa e velha MPB.




8. Words Don't Come Easy - MAMAMOO


Words Don't Come Easy abre com acordes que parecem com os de Construção, de Chico Buarque, e segue por quase quatro minutos de cantoria sussurrada e pequenos riffs de saxofone. Os timbres das membros do MAMAMOO traz uma sensualidade para a canção, dando ainda mais personalidade a essa b-side.



9. Cinema - Zion.T


Conhecido por experimentar com o R&B, em Cinema, o Zion.T pega emprestado do Brasil um violão, alguns acordes de piano e uma melodia bem específica. Para adicionar um pouco da sua própria musicalidade, ele inseriu um pequeno break com arranjos de vozes e forte percussão, quebrando o ritmo calmo e doce da canção.



10. You and I - Elris


Para fechar, começamos a adentrar o território do samba. O ritmo mais animado e com mais batidas por minuto de You and I faz com que a canção seja uma ótima ouvida para aqueles que adoram Alcohol-Free, já que ambas apostam no mesmo uso da bossa nova — um mais ritmado, recheado e com mais instrumentos característicos da música brasileira. Os comentários do music video no YouTube são repletos de pessoas prestando homenagens ao samba, e essa é mais uma prova de que a música consegue atingir diversos lugares.



Leia também: NMIXX, novo grupo feminino da JYP, deve debutar em fevereiro; o que já sabemos das integrantes?









477 visualizações

Comments


bottom of page