top of page

Army x Gamers: A isenção militar para pro-players de League of Legends e como isso afeta o BTS

Com os Jogos Asiáticos, as tensões entre esses dois nichos tem se tornado cada vez mais comuns, em especial, quando a isenção militar vem a tona


Time T1 nos Jogos Asiáticos de 2023, formado por seis homens coreanos, com a vitória da competição conseguiram a isenção militar
(Divulgação/Jogos Asiáticos)

A inclusão dos e-sports — termo utilizado para classificar modalidades competitivas de jogos online — nos Jogos Asiáticos levantou uma discussão entre o Exército Sul-coreano e suas autoridades acerca da possibilidade de isenção do serviço militar obrigatório para jogadores profissionais destas categorias, em especial, de League of Legends (LoL).


A popularidade do jogo da Riot Games não é o único fator que levou países asiáticos a assumirem novas posturas quanto aos e-sports, um dos fatores-chave é o destaque de regiões como China e Coreia do Sul no competitivo do League of Legends. A ascensão meteórica de figuras como os jogadores “Faker” e “DEFT” no que diz respeito a habilidades e popularidade se assemelha a casos de jogadores de futebol do país.


(Divulgação/Worlds 2022)

Deste modo, surgiu a possibilidade de isentar esses jogadores do serviço militar sob a condição de conquistar a medalha de ouro para a Coreia do Sul na categoria. Do mesmo modo que ocorre com outros atletas, como foi o caso de Son Heungmin, jogador de futebol sul-coreano que foi isento após conquistar a medalha de ouro nos Jogos Asiáticos.


(Divulgação/Seleção Coreana de Futebol)

Essa possibilidade não agradou alguns fãs do BTS, tendo em vista a não concessão da isenção para o grupo composto por 7 integrantes, dos quais 3 já se encontram cumprindo as obrigações militares. Confira alguns detalhes dessa treta!



As primeiras discussões sobre isenção militar


Ainda durante a pandemia e com a proximidade do início da sequência de alistamentos militares que veio a afastar alguns dos membros do BTS dos palcos, houveram discussões acerca da probabilidade de isentar os sete integrantes do serviço militar obrigatório que tem em média a duração de 1 a 2 anos e meio dependendo da modalidade.


(Divulgação/HYBE)

A duração das discussões se estendeu até meados de outubro de 2022, na qual apesar de alguns parlamentares demonstrarem apoio à isenção para o BTS, acabou não sendo possível aprovar a medida. Mesmo que as conquistas do grupo correspondam a aproximadamente 0,3% do PIB do país¹. Deste modo, a única forma de ser liberado do serviço obrigatório é através da conquista de medalhas, sendo estas no campo dos esportes, artes, entretenimento e a mais recente, os e-sports.


Uma das situações discutidas junto a possibilidade de liberar os membros do BTS das obrigações militares era a oportunidade de fazer o mesmo por Lee Sanghyeok, jogador profissional de League of Legends popularmente conhecido pelo nickname “Faker”. Afinal, o pro-player é conhecido internacionalmente por ser o melhor jogador de LoL do mundo na categoria profissional após conquistar 10 títulos da League of Legends Champions Korea (LCK), dois Mid-Season Invitational (MSI) e três Campeonatos Mundiais.


(Divulgação/T1)

Apesar da gigantesca popularidade do BTS, o jogador demonstrou ter mais chances de conquistar a tão disputada isenção militar devido a possibilidade de conquistar a medalha de ouro dos Jogos Asiáticos na categoria dos e-sports, que incluí o League of Legends.



Tensões entre Armys e Gamers


Com o alistamento de Jin, J-Hope e Suga, os fãs do BTS se sentiram injustiçados com a possibilidade de Faker e outros jogadores da Liga Coreana de LoL (LCK) serem isentos. Em especial, ao julgar que a popularidade do BTS supera de forma disparada qualquer organização ou jogador de League of Legends do país.


(Divulgação/HYBE)

Entretanto, no que diz respeito às leis militares, a popularidade ou contribuições para economia do país não são levadas em consideração quando observada a possibilidade de isenção. Ainda que o BTS tenha conquistado o mundo e colaborado diretamente com a política de projeção internacional da Coreia do Sul, é inegável que apenas medalhas de ouro são capazes de conceder esse benefício.


Uma das razões é o fato de que após ingressar no serviço militar, são poucos os atletas ou dançarinos de alta performance que conseguem retomar as funções anteriores. O mesmo se aplica a jogadores de e-sports, mesmo que habilidade física não seja o forte desta modalidade, as frequentes mudanças e atualizações dos jogos online e alterações das regras aplicadas ao competitivo acabam tornando impossível que o jogador retorne ao cenário.


Muitos acabam retornando como coaches (técnicos) ou até tentam voltar às funções anteriores, mas dificilmente reconquistam a notoriedade ou as habilidades que costumavam ostentar. Tal fator não se aplica aos idols, tendo em vista os inúmeros casos de grupos ou solistas de k-pop que não abandonaram os palcos após o cumprimento das obrigações militares.



Vitória da Seleção Coreana de League of Legends nos Jogos Asiáticos


Os Jogos Asiáticos sediados este ano na cidade de Hangzhou na China, é um evento semelhante aos Jogos Americanos que disputam diversas categorias de esportes, dentre elas, algumas das modalidades são tradicionais de respectivos povos ou países, como o Wushu e a Corrida de Barco Dragão.


A edição de 2022 foi realizada somente este ano devido às consequências da pandemia da COVID-19 que afetaram diversos países até o final do ano passado. Este é o segundo ano no qual os e-sports são incluídos dentre as modalidades.


No dia 29 de outubro de 2023, a Seleção Coreana de League of Legends conquistou o primeiro lugar do pódio dos Jogos Asiáticos junto a tão sonhada medalha de ouro em uma vitória esmagadora contra Taipei. A line composta pelos coreanos Zeus, Keria, Kanavi, Ruler, Chovy e Faker sob os comandos do treinador kkOma — responsável pela sequência de vitórias da T1 na LCK e no Mundial — subiu ao pódio após uma sequência invicta de 5 vitórias e 0 derrotas durante todo o evento.



Deste modo, os medalhistas já possuem o mérito solicitado para o pedido de isenção do serviço militar obrigatório e marcam o início de uma nova era para os jogadores sul-coreanos de e-sports. É esperado que os membros da seleção sul-coreana sigam suas carreiras como profissionais de forma plena e sem interrupções. Além disso, alguns deles disputarão o Mundial de League of Legends, sediado em Seul e com previsão para início no dia 10 de outubro deste ano.



E no que isso afeta o BTS?


Apesar das frequentes tensões entre armys e gamers que acompanham a liga sul-coreana de LoL, é inegável que a não concessão da isenção para os membros do BTS não terá impactos significativos para o grupo. A conquista do sucesso duradouro que permeia o nome do grupo e de seus respectivos integrantes não cessará em tão pouco tempo.


Grupos como o EXO conquistaram mais uma vez o título de million seller mesmo após 4 anos de hiatus devido ao alistamento da maioria dos integrantes. Deste modo, é praticamente impossível que o BTS perca a notoriedade neste meio tempo. Do mesmo modo que, a liberação dos vencedores dos Jogos Asiáticos deve ser reconhecida como uma conquista merecida, afinal, os esforços dos jogadores durante todos esses anos são o motivo pelo qual eles são selecionados para representar o país em uma competição tão importante.


O adiamento do alistamento dos integrantes do BTS e a isenção militar dos jogadores da Seleção Coreana de LoL são conquistas que marcam o início de uma nova era de possibilidades de concessão por parte do Exército Sul-coreano.



Acompanhou essa treta e quer opinar sobre? Comente com o Café com Kimchi em nossas redes sociais!


___________________

¹Fonte: O Globo

36 visualizações

Posts Relacionados

Comentarios


bottom of page