top of page

"O Menino e A Garça": A jornada de bravura de Mahito Maki

Do jeito que só o Studio Ghibli sabe fazer, a história do garoto e a garça-real que o acompanha chega aos cinemas brasileiros


O Menino e A Garça
(Divulgação / Studio Ghibli)

Este texto contém spoilers do filme em questão, leia com cuidado.


Se você nunca teve a oportunidade de assistir um filme do Studio Ghibli nos cinemas, esse é o momento! O Menino e a Garça é o mais novo sucesso que a produtora traz para os fãs e não fãs dos seus traços e histórias encantadoramente únicos. A convite da Sato Company, o Café com Kimchi teve a oportunidade de participar de uma cabine exclusiva do filme O Menino e a Garça no Rio de Janeiro! Então venha conhecer essa a história emocionante, digna de prêmio como A Melhor Animação no Globo de Ouro de 2024.


Inspirado pelo livro com o mesmo nome de Genzaburo Yoshino, lançado em 1937, o filme traz questões universais que implicam com o crescimento, amadurecimento, e o verdadeiro significado da vida.


A pessoa que traz esses traços a movimento é, ninguém mais que Hayao Miyazaki, fundador, desenhista e produtor conhecido por grandes sucessos do estúdio: A Viagem de Chihiro e Meu Amigo Totoro. Com sua aposentadoria já anunciada, surpreendeu a todos com a notícia do adiamento desse descanso para focar e se dedicar totalmente à obra que vem sendo produzida desde 2016. Confira o trailer:







Baseados nas suas experiências e crenças de vida, o autor aborda mais uma vez assuntos que envolvem a espiritualidade, militarismo e a relação humana com a natureza e com os animais. Em outra palavra, Miyazaki acredita e coloca muito a filosofia do xintoísmo.


Lançado oficialmente no Japão em julho de 2023, o longa já prometia sucesso quando alcançou a marca de 23 milhões de dólares arrecadados em bilheteria local durante as primeiras semanas de exibição. Agora que ultrapassou fronteiras e chegou aos países de língua inglesa, o filme já ultrapassa dos 127 milhões e esse número tende a aumentar com sua chegada ao Brasil.


Apesar de possuir protagonistas femininas e donas das suas próprias histórias e batalhar, inspirando-se em sua mãe, dessa vez Miyazaki optou por relatar a jornada cheia de bravura do jovem Mahito Maki. Mostrando as dificuldades passadas no período da segunda guerra mundial, Mahito perde sua mãe em um incêndio e se muda com seu pai para a casa de campo da família, com planos de recomeçar a vida. Sua nova madrasta - irmã de sua mãe - está grávida e os recebe calorosamente, o que acaba não sendo tão recíproco da parte do garoto.




Traumas e aceitação marcam a essência de "O Menino e A Garça"


"O Menino e A Garça"
(Divulgação / Studio Ghibli)

Matriculado em uma nova escola, ele não se adapta e se envolve em confusão. Mostrando que o mal também habita nele, se machuca propositalmente para não ter que voltar tão cedo, mas, é ficando em casa que ele começa a ser perturbado pela garça e o trauma gerado pela morte da mãe o faz ter pesadelos frequentes com fogo. Inquieto, a garça consegue convencer ele de que sua mãe está viva e o jovem garoto se enche de curiosidade.


Coisas estranhas começam a acontecer e ele persegue a garça até o misterioso local onde ela se esconde. Uma torre nos fundos do vasto quintal, soterrada de histórias. A curiosidade só é suprida com o desaparecimento de sua madrasta, e, assim, o garoto dispõe a conhecer esse outro mundo e os segredos que a torre possui.


A estranheza familiar de um novo mundo


Esse começo meio medonho passa a trocar de rumo e toda fantasia começa a se fazer presente. É na torre que Mahito embarca em diversas aventuras de épocas passadas e conhece a versão criança de sua mãe. Ela é quem o ajuda ir em busca de sua madrasta, que está a espera do nascimento de seu bebê naquele lugar. Reconhecendo que o garoto nunca foi tão chegado à ela, a madrasta a princípio nega sua ajuda, mas depois se arrepende e tenta salvá-lo também.


Com analogia ao Divino, o tio da sua mãe também marca presença e importância na história. Ele está buscando um sucessor e oferece os poderes de cuidado do universo ao jovem. Mas ele, tão sábio, recusa ao lembrar do episódio em que se machucou.






Muitas coisas acontecem e é muito possível ver referências à filmes do mesmo estúdio e aos fatos históricos do período. O Menino e a Garça é uma das animações mais emocionantes do estúdio, e traz uma reflexão profunda sobre a esperança. Com a incerteza da real aposentadoria de Hayao Miyazaki, é possível notar um tom de despedida. Apesar de já ter falado sobre futuros planos e novas histórias, o artista mostrou mais uma vez o amor que tem pelo cinema, arte e fantasia, que mostra a necessidade de expressar sua vida, crenças e amor através de seus filmes.


Uma coisa é certa: O Menino e a Garça é uma obra que vale criar expectativa e de emocionar com toda a sua complexidade. Não deixe e não perca a oportunidade de ver essa arte em forma de filme nas telonas de cinema!


40 visualizações

Comments


bottom of page