top of page

1022 itens encontrados para ""

  • Snowdrop no Star+: O que você precisa saber sobre o dorama estrelado pela Jisoo?

    Estreando em seu primeiro papel como protagonista, a integrante do BLACKPINK divide a tela com Jung Haein, ator de D.P. e Prision Playbook (Reprodução/JTBC) Os lançamentos de doramas nos streamings — além do amado Viki — são um comportamento cada vez mais recorrente conforme as produções sul-coreanas se popularizam. Dessa vez, o drama escolhido para as plataformas digitais é Snowdrop, que chega ao catálogo do Star+ em dezembro. Para te deixar por dentro dos principais detalhes de um dos K-dramas mais aguardados do ano, o Café Com Kimchi trouxe algumas informações cruciais! Leia também — Novos K-dramas na Netflix: 5 doramas que chegam à plataforma em outubro Qual é o enredo de Snowdrop? (Reprodução/JTBC) Snowdrop é ambientado em 1987, período em que o movimento pró-democracia na Coreia do Sul lutava para se livrar do domínio do regime ditatorial vigente. No centro da história está Im Sooho e Eun Youngro, dois jovens universitários que vivem vidas distintas em lugares diferentes. Suas rotinas acabam se conectando inesperadamente quando Sooho — que atua secretamente como espião norte-coreano — chega todo ensanguentado ao dormitório da faculdade de Hosoo, e a mulher decide ajudá-lo a se esconder, sem saber exatamente de quem (o do que) ele está fugindo. Inevitavelmente, a tensão entre eles se transforma em uma paixão fadada à ruína. Leia também — The Album: um ano do lançamento mais aguardado do BLACKPINK; relembre as conquistas do disco Equipe e elenco de Snowdrop (Reprodução/Google) A equipe por trás das câmeras em Snowdrop é formada pelo diretor Jo Hyuntak e a roteirista Yoo Hyunmi, que trabalharam juntos também no drama Sky Castle, da JTBC. Já o elenco tem como protagonistas Kim Jisoo, vocalista do grupo BLACKPINK, e Jung Haein, que esteve em Prision Playbook, While You Were Sleeping e D.P. Além deles, Jang Seungjo, Yoo Inna, Kim Hyeyoon e Yoon Sea como coadjuvantes e personagens de apoio. Snowdrop sofreu críticas e tentativa de boicote (Reprodução/JTBC) Snowdrop nem lançou e já foi vítima de boicote devido à divulgação da sinopse da trama. No início de 2021, os internautas sul-coreanos criticaram o drama, alegando que o enredo retrata erroneamente o regime norte-coreano e que a nação vizinha não teve influência no movimento coreano. A movimentação nas redes sociais começou com uma petição online que arrecadou mais de 140 mil assinaturas exigindo o cancelamento do dorama. Posteriormente, progrediu para protestos presenciais com cartazes na frente da emissora JTBC, em 30 de março. No entanto, a produtora se pronunciou afirmando que houve erro de interpretação do público em relação ao drama e se recusou a ceder — ocasionando, assim, a continuação da atração.

  • My Name: Han Sohee treinou de segunda a sexta para o dorama da Netflix; saiba mais

    Produção está completa com 8 episódios dublados e legendados; Sohee também chega no catálogo com "Nevertheless" (Netflix / Divulgação) O mês com certeza é da Han Sohee na Netflix. Além de ter aparecido na plataforma com o drama Nevertheless no começo do mês, a atriz também figura em outra produção do streaming com a temporada completa para assistir. No caso, My Name estreou como série original nesta sexta-feira (15), e o projeto já está sendo bastante comentado na web. Leia também: Novos K-dramas na Netflix: veja 5 doramas que chegarão em outubro no streaming Em oito episódios, o público acompanha a trajetória da personagem Yoon Jiwoo, que após a morte do pai, procura por vingança com a ajuda de um chefe do crime. O líder da gangue que realiza tráfico aceita Jiwoo como membro do grupo, e a jovem passa a atuar como agente dupla dentro do departamento de polícia. Junto com Han Sohee, os atores Ahn Bohyun e Park Heesoon participam do dorama, atuando como o parceiro investigativo de Jiwoo e o chefe da gangue, respectivamente. A produção havia sido previamente anunciada durante o evento Netflix TUDUM, que divulgou os principais lançamentos da plataforma para os próximos meses. (Netflix / Divulgação) A preparação física de Han Sohee para My Name Han Sohee divulgou à imprensa que seu treino para viver Jiwoo foi intenso. A atriz se inscreveu numa academia de atuação para as cenas de ação, e treinou de segunda a sexta para o papel em My Name. Dessa forma, é possível notar que suas personagens no drama Netflix e em Nevertheless são totalmente díspares. Ao comparar as duas produções, é perceptível que Sohee mudou da água para o vinho entre um projeto e outro. Além do mais, a atriz não foi a única a se preparar bastante para a trama frenética. Ahn Bohyun, que está como um dos protagonistas do drama Yumi's Cells, também representa um papel completamente oposto em My Name. Com uma pegada diferente do gênero de romance, que aparece com frequência na Netflix, My Name chega para agradar o público adulto que gosta de ação. Confira abaixo um vídeo de bastidores do dorama, e veja se ele te agrada; o resultado pode te surpreender no final.

  • ‘Close To Me’: conceito diferenciado marca a volta de BLACK SWAN

    BLACK SWAN retornou com seu segundo single ‘Close To Me’ quase um ano após o debut, confira na review como foi o comeback do girlgroup (Divulgação / DR Entertainment) O grupo BLACK SWAN composto por quatro integrantes multinacionais – Young Eun e Judy são coreanas, Fatou é belga e Leia é brasileira – debutou em 2020 com o single Tonight e retornou no último dia 15 de outubro com seu segundo single intitulado Close To Me que chamou atenção por seu conceito inspirado em prisioneiras, mais precisamente na personagem Arlequina de Esquadrão Suicida. (Reprodução / Divulgação) Sobre a música, Close To Me é uma faixa de gênero pop dançante que, segundo a empresa que agencia o grupo, maximiza o encanto de BLACK SWAN, o que não é exatamente verdade, uma vez que a canção não mostrou realmente o melhor de cada integrante. Por mais que a DR Entertainment tenha divulgado que a música teve participação de pessoas que já trabalharam com artistas globais como BTS, BLACKPINK, Justin Bieber e Dua Lipa, não conseguiu passar a essência que o grupo porta. Leia também: 1 ano de Hello: single digital de Chen do EXO faz aniversário Em suma, a faixa ficou bem bagunçada e parecendo que foi gravada em qualquer estúdio, mixada e lançada, sem nem ter tratamento sequer. Você consegue perceber que a produção parece ser rotineira e soa um tanto genérica, mas ainda assim há algumas partes gostosas de se ouvir como o pré-refrão e partes do refrão. A canção ainda possui uma versão alternativa em inglês. Sobre o MV pode-se dizer que a produção não é de alto custo, mas foi até que bem estruturada. O conceito de prisioneiras e referências à Arlequina ficaram bem divertidos e cativantes, assim como a coreografia animada e o visual das integrantes que são notáveis. Lembrando que o BLACK SWAN é um grupo agenciado por uma empresa de pequeno porte, com pouco orçamento disponível para o funcionamento dos grupos que suporta, principalmente quando são recém-debutados e com uma base de fãs ainda pequena. No geral, o esforço das integrantes do BLACK SWAN é notável e admirável, com a pandemia ainda em nossas vidas, com pouco orçamento e vários outros empecilhos, ainda conseguiram se manter de pé e seguir seus sonhos. Embora tenham tentado fazer algo diferente em Close To Me, seu single de debut, Tonight, é incrivelmente melhor e traz uma vibe muito mais imponente das meninas juntas, seria interessante que se mantivessem nessa linha para que possam apresentar algo muito mais atraente de se acompanhar.

  • 1 ano de Hello: single digital de Chen do EXO faz aniversário

    A música bastante intimista marca uma despedida temporária entre o cantor e os fãs, enquanto ele cumpre o serviço militar obrigatório (SM Ent. / Divulgação) No dia 8 de outubro de 2020, o Twitter oficial do EXO anunciava algo inesperado. Um single digital de Chen, intitulado Hello (안녕), que seria lançado uma semana depois, no dia 15 do mesmo mês. Faz 1 ano que o fandom EXO-L escutou pela primeira vez essa canção tão significativa e sensível cantada pelo membro do grupo que ficou algum tempo sem dar notícias. Hello foi definida como um sentimento caloroso de outono, e é caracterizada como brit pop, subgênero de rock alternativo que conta com a presença marcante de guitarra suave, que harmoniza bem com a voz de Chen. A letra é uma carta desejando o bem estar da pessoa para quem é destinada e a preocupação de que as palavras são suficientes para conseguir transpassar esse sentimento de forma clara. "Meu amor, durante esse longo tempo de hesitação, não consegui encontrar as palavras certas para expressar meus sentimento, com toda sinceridade nesses olás comuns, eu quero só perguntar se você está bem" Leia também: Bird: relembre o single japonês do EXO que emocionou os fãs durante o hiato do grupo Analisando a interpretação de Hello e a situação, existe uma certa ambiguidade, pois embora o vocalista esteja mostrando sua preocupação por quem passou muito tempo aguardando por notícias suas, Chen também anunciou sua breve despedida. Algumas horas após o lançamento da música, o cantor contou aos fãs através de uma carta escrita à mão, que seu alistamento estava próximo, se deu no dia 26 do mesmo mês. Leia abaixo a carta traduzida: O clipe apresenta uma estética aconchegante e vintage, com um tom bem íntimo e paleta de cores impecáveis. É um MV que se distingue bastante entre os outros da carreira solo de Chen, como Beautiful Goodbye e Shall We?. Porém embora seja uma canção lenta como outras de sua discografia, ela se diferencia em seu gênero, e ainda mostra o que não precisa ser provado, que os vocais do membro do EXO são inigualáveis e podem perpassar por onde quiserem. Durante a gravação do clipe, o cantor conta nos bastidores que para manter a linha emocional da música, era necessário transmitir emoções bem aparentes através de seu semblante, resultando em cenas bem emocionais. "Do início ao fim das gravações, tudo que eu pensava era 'como expressar meus sentimentos?'", ele afirma. Lançar uma música antes de se alistar já se tornou uma tradição entre o EXO, é como um presente para seus fãs. Com Hello não foi diferente, para o fandom, a música carrega dois significados, uma boa recepção e alívio após enfrentar um longo tempo sem ter notícias, mas também a aflição de ter mais um membro do grupo longe por um período de tempo. Leia também: KAI 2021: Com 100M de views em "Mmmh", o que vem por aí do integrante do EXO? Leia também: BLACKPINK na Netflix: filme Light Up The Sky completa um ano Aparições pré-alistamento Por que é importante lembrar do aniversário desse single? A música foi anunciada de surpresa, em meio a um tempo muito conturbado para o fandom EXO-L, já que Chen passou um tempo longe da mídia após anunciar seu casamento e a espera de sua primeira filha. Ao longo de 2020, Chen fez poucas aparições, porém todas muito marcantes e memoráveis, em sua maioria projetos musicais. Seu primeiro projeto do ano foi You, uma colaboração com Dynamic Duo lançada em janeiro. Meses depois, em seu canal no YouTube, Chen surpreendeu os fãs com um cover sentimental de Breath, música de Park Hyoshin, e seu último projeto antes do single digital, Your Moonlight, uma OST para o k-drama Do You Like Brahams?. Poucos dias após o 1º aniversário de Hello, Chen cumprirá 1 ano de alistamento e está a menos de 200 dias de sua dispensa, que está marcada para abril de 2021. Os fãs aguardam ansiosamente pelo seu retorno e pelos seus próximos projetos, seja como solista, como membro do EXO ou da sub-unit EXO-CBX, que tem estado inativa por conta do alistamento dos integrantes que a compõem, primeiro o Xiumin que retornou em dezembro de 2020, Chen e agora, em 2021, Baekhyun. Leia também: 5 anos de debut solo de Lay: Como a carreira do solista evoluiu desde o álbum Lose Control?

  • BLACKPINK na Netflix: Documentário Light Up The Sky vai atiçar sua simpatia pelo girlgroup da YG

    O documentário foi a primeira produção original da plataforma de streaming sobre um grupo sul-coreano (Divulgação / Netflix) Outubro é um mês especial para os fãs de BLACKPINK. Além do lançamento do The Album, o primeiro full album das meninas, foi também em outubro do ano passado que ocorreu a estreia do BLACKPINK: Light Up The Sky, o documentário da Netflix. A produção, dirigida por Caroline Suh, foi a primeira na plataforma de streaming sobre um grupo de Kpop. Light Up The Sky acompanha Rosé, Jennie, Jisoo e Lisa nos seus primeiros passos na indústria, com o debut em 2016, até a escalada fenomenal do seu sucesso, no início de 2020. Teddy Park, produtor musical do grupo desde o debut single Boombayah, também é uma presença importante no documentário, oferecendo uma perspectiva única sobre as integrantes. Mais Netflix: Confira quatro doramas tão bons quanto Round 6, o maior sucesso da plataforma O original da Netflix traz momentos de descontração do quarteto em estúdio e em salas de ensaio, e também faz uma breve retomada histórica sobre o kpop, a estrutura de agenciamento e os trainees. Mas o destaque fica por conta das entrevistas individuais, acompanhadas de filmagens raras das meninas, às quais o grupo reage em uma sala de cinema preparada especialmente para o documentário. Um ano após a estreia do documentário, as integrantes do BLACKPINK têm focado em atividades solo. Rosé e Lisa fizeram seu debut como solistas em 2021. Jisoo deve estrear no dorama Snowdrop em breve, e Jennie mantém o posto de It Girl da Coreia (em novembro, será capa da revista W Korea). Sabemos que os fãs estão com saudade do grupo, por isso, o Café com Kimchi fez uma lista com 3 momentos marcantes do documentário. Vamos relembrar? (Divulgação / Netflix) 1. Dias de Trainee No especial para a Netflix, o grupo relata a rotina como trainees para a YG Entertainment, a empresa sob a qual debutaram e continuam listadas até hoje. O período de treinamento foi difícil. Além de conviver diariamente com mais garotas — suas concorrentes diretas —, o quarteto teve de praticar por cerca de 14 horas por dia, por um período de 4 a 6 anos. Também não eram autorizadas a beber, fumar ou a fazer tatuagens, e ficavam muito tempo afastadas da família. Jisoo, a unnie do grupo, conta que costumava ter entre 3 e 4 aulas de dança por dia, além dos ensaios. Jennie lembra que, além do trabalho duro, ainda precisavam lidar com críticas constantes e com a eliminação de outras trainees que, às vezes, eram amigas queridas. Ao final de cada mês de treinamento, as quatro precisavam se apresentar para os produtores. Algumas filmagens foram inseridas no documentário. Uma dessas apresentações foi usada como teaser para o debut do grupo. Confira: 2. A Amizade do Grupo Durante o treinamento, Lisa e Rosé relatam que enxergavam as demais trainees como concorrentes — “tudo era competição naquela época”. Jennie conta que era comum discussões entre as trainees; mas, quando as quatro Pinks trabalhavam juntas, havia harmonia. O produtor Teddy também teve um bom pressentimento quanto àquela formação do grupo, que acabou debutando sem eliminações ou adições. A amizade que nasceu no pré-debut fez com que as meninas aprendessem umas com as outras. Rosé diz que quis aprender a dançar depois de ver o bom desempenho da Lisa, a quem considera como uma irmã. Jisoo, que nunca havia cantado antes da sua audição, conta que aprendeu muito com a Jennie, que treinava há mais tempo. Até hoje a amizade do grupo permanece forte, e é listada por fãs como um dos atributos do BLACKPINK. (Divulgação / Netflix) 3. Turnê Mundial e Coachella O documentário destaca ainda a rotina de viagens do grupo para a turnê mundial. Na Ásia, o BLACKPINK passou por cidades como Seul, Jakarta, Manila, Bangkok e Hong Kong. A correria e o frenesi trouxeram desgaste, mas a união do quarteto colaborou para que tudo ocorresse bem. Em abril de 2019, a turnê chegou à América do Norte, no palco do Coachella. O BLACKPINK foi o primeiro grupo a representar o Kpop no festival americano, considerado um dos palcos mais famosos do mundo. Nos bastidores do festival, o original revela a animação do grupo para se apresentar, bem como a preocupação com as impressões da audiência. Mas o show foi um sucesso e um marco na carreira do BLACKPINK. Para Jennie, o Coachella foi o momento em que o grupo se libertou da ideia de apenas um ato de Kpop para o público. “Foi um momento em que senti [...] como se todos os anos de treinamento valessem a pena”, conta a integrante. (Reprodução / Google) O show para o festival americano acabou compondo outro documentário, o Coachella: 20 Years in the Desert. A produção é um original do YouTube, e está disponível no canal oficial do Coachella na plataforma de vídeos. As performances isoladas do grupo no festival também estão no YouTube, no canal oficial do BLACKPINK.

  • Yumi's Cells: Dorama baseado em webtoon explora as emoções no estilo "Divertidamente"

    Produção é protagonizada por Kim Goeun e Ahn Bohyun, e ficou entre os dramas mais populares do mês de setembro na Coreia (VIKI / Divulgação) Que muitos webtoons estão ganhando vida com adaptações audiovisuais, isso não é mais novidade. Várias produções estão saindo das páginas dos quadrinhos digitais, e ganhando corações de espectadores e fãs de dramas. Nesse sentido, você já ouviu falar de Yumi's Cells? É provável que esta produção de sucesso seja o seu próximo vício. Leia também: Hometown Cha-Cha-Cha: Gostou do Kim Seonho? Conheça 4 outros doramas com o ator Em setembro, Yumi's Cells ficou em 4º lugar no ranking de popularidade dos doramas da TV sul-coreana, e a busca pelo webtoon só tem aumentado desde a estreia. Com 14 episódios no total (ainda sendo transmitidos), Yumi's Cells agradou o público pela sua adaptação, enredo criativo e cast bastante conhecido. Mas sobre o que é Yumi's Cells? O Café com Kimchi fez este post para você conhecer mais a respeito dessa história, e quem sabe se interessar por ela. Continue lendo para descobrir a sinopse, os atores do elenco, e saber um pouco sobre a comics original. Yumi's Cells: Qual é a história do dorama? Na trama, o espectador é apresentado à personagem Yumi (Kim Goeun), que não tem muita facilidade em expressar as coisas que sente. Nisso, a protagonista tem a ajuda de algumas células (as cells) dentro de seu cérebro, que representam suas emoções e tentam acompanhá-la nas relações e acontecimentos diários. Assim, as cells lidam com as situações que Yumi enfrenta, principalmente no que diz respeito ao romance. (Lee Dongeun / NAVER) É provável que o espectador encontre certa similaridade com o desenho Divertidamente; pode até ser parecido, mas Yumi's Cells lida com acontecimentos que giram em torno do universo adulto. Yumi é uma mulher maior de idade, que trabalha num escritório e está em busca de experiências além do coming of age. Apesar disso, é fofo ver como cada célula tem uma personalidade totalmente diferente. Há a cell do amor, da emoção, da moda, a detetive, a sensual e por aí vai. Nisso, o foco das mini-personagens são os "desejos e vontades", e não só as emoções de Yumi, claro. O elenco de Yumi's Cells O cast do dorama traz alguns rostos já conhecidos do grande público, incluindo do mundo do K-Pop. Nesse caso, Yumi's Cells é protagonizado por Kim Goeun, atriz conhecida pelos seus papéis em Goblin, O Eterno Rei e Cheese In a Trap. Ao lado dela, está o ator Ahn Bohyun, que atuou em produções como Her Private Life, Itaewon Class e o webdrama Dokgo Rewing. Além disso, Bohyun também estará no drama My Name, que estreia na Netflix ainda neste mês de outubro. A respeito dos idols que estão em Yumi's Cells, o Minho do SHINee e o Jinyoung do GOT7 aparecem aqui também! Enquanto que Minho interpreta o personagem Chaeugi, Jinyoung está no papel do rapaz Bobby Yoo. A respeito do webtoon de Yumi's Cells Yumi's Cells foi um webtoon de muito sucesso na internet. O criador, Lee Dongeun, levou mais de cinco anos para finalizar a história, que durou pouco mais de quinhentos capítulos (ou episódios). O quadrinho terminou no dia 7 de novembro de 2020, e até aquela época, acumulava cerca de 3.2 bilhões de visualizações, além de milhões de comentários na plataforma de leitura do Naver. No período de sua finalização, Lee Dongeun disse que se sentia "livre e satisfeito" por ter terminado o webtoon da melhor maneira possível, ao que seu objetivo inicial era fazer com que as pessoas se sentissem representadas nas emoções de Yumi. "As pessoas pensam coisas diferentes do que elas de fato fazem na vida real", disse. (Lee Dongeun / NAVER) Ao jornal sul-coreano Korea Joonjang Daily, o artista também disse que esperava representar os dilemas da maioridade; e como jovens adultos desenvolvem suas respectivas personalidades quando saem da adolescência: Acho que as pessoas se identificaram com Yumi, independente do gênero. Começamos a construir nossas vidas em sociedade por volta dos 20, 30 anos, e a maioria lida com pensamentos parecidos a respeito da própria vida e o amor. Os desejos e emoções das pessoas são bastante similares. E você, já conhece ou assiste Yumi's Cells? Ficou com vontade de saber mais? Confira o trailer do dorama logo abaixo:

  • Além de K/DA: 5 vezes que o Kpop invadiu o universo dos Games

    Confira cinco atos musicais que marcaram a união dos dois mundos, e conseguiram agradar tanto a kpoppers quanto a gamers (divulgação/ reprodução) Games e Kpop: é difícil dizer quem invadiu quem primeiro. Muitos idols são conhecidos pela sua paixão por jogos eletrônicos e não escondem isso dos fãs. Alguns exemplos são o Heechul do Super Junior, a Sakura do antigo IZ*ONE, o Jae do Day6 e a Mina do Twice. Os jogos, em contrapartida, também têm se aproximado do Kpop. As músicas têm invadido games como Just Dance e Beat Saber, e as coreografias já são figurinhas carimbadas no universo de League of Legends (LoL). O fato é que é inegável a aproximação dessas duas esferas de interesse. A junção de mundos se dá por diversos motivos, entre os quais está o interesse mútuo dos fãs e a criação de ações publicitárias. A tendência é que esses dois nichos colidam cada vez mais. Pensando nisso, o Café Com Kimchi listou cinco vezes em que o Kpop e os Games (neste caso, o League of Legends) se uniram. Vamos lá? 1. Sunmi - Go or Stop? A cantora Sunmi, ex Wonder Girls e atualmente solista, lançou nesta segunda-feira (11) o MV de 'Go or Stop?’. A música, um pop eletrônico bem animado e dançante, tem uma pegada futurística, e apresenta ao longo do MV várias referências ao mundo dos jogos online. O destaque é que a faixa foi divulgada como tema do time coreano de League of Legends DWGKIA, também conhecido como Damwon Gaming. O time, que recebe patrocínio de marcas famosas como a KIA e a Adidas, foi o vencedor do Campeonato Mundial de League of Legends de 2020 — título que irá defender no evento deste ano, que já está em andamento (5 de outubro a 6 de novembro). 2. K/DA - um grupo virtual de Kpop O exemplo mais emblemático que temos de união entre Kpop e Games é o K/DA, um grupo feminino de avatares virtuais, desenvolvido pela empresa que está por trás do League of Legends: a Riot Games. As integrantes do grupo são personagens do jogo: Ahri, Akali, Evelynn e Kai'Sa; dubladas por cantoras americanas e coreanas. A canção Pop/Stars, por exemplo, teve as vozes de Madison Beer, Jaira Burns e duas integrantes do (G)I-dle, Miyeon e Soyeon. O lançamento do K/DA ocorreu em 2018, no Campeonato Mundial de League of Legends. O palco de realidade aumentada permitiu que as avatares interagissem com as cantoras, garantindo um debut inédito na indústria e muito impactante. De lá para cá, o KD/A já lançou mais cinco faixas e um álbum, o EP All Out, e também conquistou milhares de fãs que aguardam ansiosamente por mais atividades. 3. Raiden, Baekhyun e Changmo - Runner O single Runner, lançado em fevereiro deste ano, foi produzido especialmente para o time coreano T1. Além de League of Legends, o T1 também tem equipes em jogos de Valorant, Overwatch, PlayerUnknown's Battleground (PUBG), Fortnite entre outros. A collab escrita pelo DJ Raiden — que lançou seu primeiro mini álbum essa semana — mistura elementos de EDM e trap, e fala sobre a jornada dos jogadores até se consagrarem campeões. A collab foi especialmente significativa para o Baekhyun. O membro do EXO já é conhecido pelos fãs por ser um gamer assíduo, e ele se revelou, nos bastidores do MV, um grande fã do time T1. Ao final das gravações, ele ganhou uma camiseta autografada pelos jogadores e postou sobre o presente no Instagram. Na legenda, Baekhyun disse que tentou disfarçar, mas estava nervoso de estar ao lado do time. Fofo! Leia mais: Relembre Bird, o single japonês do EXO que emocionou as fãs durante o hiato do grupo 4. Aespa no Campeonato de LOL: Wild Rift As meninas do aespa, que recentemente lançaram seu primeiro mini álbum, se apresentaram na cerimônia de abertura no campeonato de League of Legends: Wild Rift. Na ocasião, elas performaram o single Next Level, cujo ritmo e a estética se aproxima do visual dos games. Na verdade, este tem sido um comentário comum entre os fãs do grupo: as músicas do aespa soam como trilhas sonoras de jogos. Isso pode se dar pela aposta em um visual cyberpunk, pelos avatares próprios do grupo que compõem o universo de Kwangya, e pelo caráter experimental dos lançamentos, que vão de sythpop à EDM em uma única faixa. Leia mais: conheça quem está por trás da produção do primeiro mini álbum do aespa 5. Bobby do iKON no remix de Rise Em 2018, no mesmo ano em que K/DA debutou, foi lançada também a faixa Rise, que logo se tornou uma das músicas temas favoritas dos jogadores de LoL ao redor do mundo. A música original teve participação do DJ Mako, da banda The World Alive e o trio The Glitch Mob (todos americanos). Mas a música ganhou também uma versão remix e, nela, o rapper Bobby do iKON também participou. Como o debut do K/DA foi em novembro, e o remix de Rise foi divulgado em outubro, Bobby é considerado o primeiro artista coreano a colaborar diretamente com o League of Legends.

  • Park Jimin: Conheça a carreira do cantor de BTS, marcada por talento e conquistas

    Veja alguns momentos marcantes da trajetória do artista, desde sua fase como trainee, até os dias atuais (Reprodução / HYBE) Hoje já é dia 13 de outubro na Coréia do Sul, portanto, o dançarino principal e lead vocal do grupo BTS, completa 26 anos - 27 na idade coreana. Para comemorar seu dia, o Café Com Kimchi selecionou alguns de seus feitos para conhecer um pouco mais de sua essência particular, e para aqueles que já conhecem, relembrarem um pouco de quem é Park Jimin. Ao contar sua história, Jimin ressalta que se interessou pela dança no 2º ano do fundamental e passou a frequentar uma escola de dança. Ele sempre praticava com muita dedicação, e participava de grandes performances. Conforme foi crescendo percebeu que gostaria de ter a dança como profissão. Leia também: Run BTS entrará em pausa: Relembre 5 melhores momentos do programa de entretenimento "Enquanto eu ponderava sobre meu futuro, pensei que gostaria de um emprego em que pudesse estar em cima do palco". Afirmou em entrevista para revista do fã clube oficial japonês. Jimin foi o último integrante a ingressar no grupo, e para se equiparar aos outros, ele trabalhou duro e persistiu muito em seu sonho, dormindo poucas horas de sono por noite e passando grande parte do tempo acordado treinando. Por isso, os outros membros do grupo o reconhecem como uma pessoa aplicada e rigorosa. Leia também: Namjoon: conheça alguns dos hobbies do líder do BTS A essência em seus solos (Reprodução / HYBE) Em 2016, através do álbum WINGS de BTS, Jimin lançou Lie, um pop autêntico e eletrizante que ressalta bem suas habilidades como cantor. A faixa possui uma letra bem madura, ele canta em seus versos sobre querer se afastar de alguém e retornar para sua essência mais pura. Ao apresentar Lie, o cantor entrega uma performance impecável, dando seu melhor como vocalista e dançarino. Leia também: 5 anos de ‘WINGS’: o disco que definiu a carreira de BTS Em 2018 Jimin lançou Promise, sua primeira música solo, uma faixa bastante significativa composta pelo próprio cantor. A letra é bem paupável e também foi dedicada para os fãs, abordando em seus versos a importância de ser a própria luz e força, frisando uma das temáticas mais expressivas tratadas pelo BTS, que é muito admirada por quem os acompanha, o autocuidado e amor próprio. "Eu quero que você seja sua própria luz, baby / Você deveria ser sua própria luz / Para não se machucar novamente" (Promise, Jimin) Ouça abaixo a faixa completa: Carisma e relevância Todo o esforço de Jimin durante seus anos como trainee foi reconhecido, além das realizações como parte do BTS, um dos maiores grupos de k-pop da 3ª geração e da atualidade, Jimin também tem grandes conquistas individuais e um retorno encantador vindo de seus fãs. Além disso, ele foi escolhido em 2018 e 2019, como ídolo favorito pelo público geral coreano, levando em consideração seu carisma e talento. Tal escolha se deu através de uma votação realizada no relevante site Gallup, voltado para pesquisas e análises de tendências. Para seu aniversário desse ano, a PARK JIMIN BAR, um de seus fansites chineses divulgou que um de seus projetos de celebração, serão publicadas promoções nos jornais New York Times e The Times, o tornando o primeiro ídolo coreano a receber tal feito. Leia também: "Euphoria": Saiba mais sobre o solo de Jungkook do BTS, do lançamento ao recorde no Spotify

  • "Dimension: Dilemma": Enhypen vai do EDM ao rock em novo álbum e entrega seu melhor

    Comeback do boygroup conta com participação de Yeonjun do TXT, e produção do icônico duo LDN Noise (Belift Lab / Divulgação) É inegável que o K-Pop é intrinsicamente ocupado pela música eletrônica. Principalmente entre os grupos masculinos, o EDM faz parte da discografia de praticamente todos os conjuntos; mas há diferença entre reciclar um gênero, e torná-lo divertido outra vez. No caso do Enhypen, o álbum Dimension: Dilemma traz um ânimo para o cenário dos boygroups, e faz do ato de conhecer a atual geração de idols algo instigante. Em oito faixas, sendo duas delas intros e outros para caberem no conceito do grupo, os garotos entregam uma faixa-título upbeat e dançante. Nesse sentido, a música Tamed-Dashed ganhou um MV de cores vibrantes e elementos que gostamos de ver no K-Pop: uniformes colegiais, idas à praia, interações com a câmera e bons visuais. Poderia ser um comeback de verão, mas o Enhypen fez bem em retornar com este conceito fora da época usual. Estamos em outubro e, como é mais comum de ver, boygroups buscam por ideias que fogem das paletas super coloridas nesta época do ano. Bom ver que o grupo da subsidiária Belift Lab foi pelo caminho contrário, e apresentou um estilo "garotos de uniforme" que não ficasse repetitivo. A tracklist plural de "Dimension: Dilemma" do Enhypen Em Dimension: Dilemma, a escolha de músicas foi certeira. Como dito acima, o EDM obviamente está presente no álbum, mas não há exageros. As canções, quase todas produzidas pela dupla Wonderkid e "Hitman" Bang (Bang Sihyuk, fundador da Big Hit Entertainment), vão do house music ao pop-rock, num ritmo de trocas de faixas que não cansa. O que poderia ser uma mescla maluca de ritmos eletrônicos, ou uma experimentação que cabe (ou não deveria caber) à muitos grupos de hoje, o Enhypen opta por algo mais sofisticado. São músicas simples e diretas ao ponto, sem artifícios de breaks desnecessários para alguma performance aleatória no meio do stage. Elas dão vontade de apertar o replay. Além do mais, entre as músicas mais puxadas para o pop-rock, o Yeonjun do TXT faz uma participação especial. O Tomorrow X Together é um boygroup interessante da atual geração do K-Pop, e a adição de Yeonjun deu um toque à mais na faixa Blockbuster. Vale ressaltar também o trabalho do duo LDN Noise em Go Big or Go Home, que é a pura dance music já característica dos produtores. O LDN Noise já trabalhou com muitos artistas do K-Pop, em destaque os da SM (EXO, F(x), SHINee, Red Velvet), então o investimento no Enhypen foi bem qualificado. Para onde o Enhypen vai daqui em diante? O Enhypen está numa linha de lançamentos muito boa desde seu debut. Em 2021, o grupo também divulgou o mini álbum "Border: Carnival", e Dimension: Dilemma é onde está o equilíbrio entre os dois releases: enquanto um trouxe as frenéticas Drunk-Dazed e Fever, o outro carrega o "ar fresco" que todo grupo precisa ter entre lançamentos de ritmos mais pesados. Ainda há muito para o Enhypen trilhar no K-Pop. Eles são um grupo novo, que debutou no ano passado, mas que apresenta certo crescimento. Particularmente falando, é muito difícil que um grupo da geração vigente do pop sul-coreano chame minha atenção; porém, o boygroup conseguiu me fisgar. Eles são jovens, bastante energéticos e sua música tem carisma. Em Dimension: Dilemma, Enhypen mostra que a indústria ainda é capaz de debutar grupos em conceitos já conhecidos, mas que conseguem inovar o "mais do mesmo". Espero que este boygroup ainda cresça muito. Escute "Dimension: Dilemma" abaixo:

  • Round 6: Qual dorama assistir que possa ser tão bom quanto a série da Netflix?

    Streaming traz boas recomendações para aqueles que se envolveram com a trama frenética de Squid Game (Netflix / Reprodução) Na última semana, o fenômeno da Netflix chamado Round 6 foi renovado para uma segunda temporada. A gigante do streaming fez o anúncio que muitos estavam esperando, e agora, a trama frenética envolvendo o Squid Game vai continuar. Porém, a pergunta que fica por enquanto é: O que podemos assistir para sanar a vontade de Round 6? Qual produção sul-coreana pode ser tão boa quanto a série? Leia também: Round 6: Sabia que atriz da série interpreta personagem LGBTQ+ em filme com Hani de EXID? A indústria do audiovisual na Coreia do Sul é muito plural. Nesse sentido, há dramas para todos os gostos: enredos de ação, romance, comédia, suspense e por aí vai. Para os que iniciaram no mundo dos doramas agora, a Netflix já é uma porta de entrada para estas produções diversas. Vale ressaltar que, além dos K-Dramas que entram no catálogo de vez em quando, há também as produções originais que sempre ficam por lá; Round 6, por exemplo, foi uma delas. Com isso, acompanhe a lista logo abaixo de outros doramas de ação, suspense e thriller que podem ser do seu gosto, e que te deixarão tão viciados quanto Squid Game deixou. Nela, há tanto produções originais, quanto outras terceirizadas para o streaming. Aviso: Os dramas recomendados na lista são para maiores de idade, com classificação etária entre 16 e 18 anos. 4 dramas que estão na Netflix para quem gostou de Round 6 1- Strangers From Hell O drama de terror da OCN é a 2º produção do projeto "Dramatic Cinema", que tem como objetivo misturar o formato de doramas com o estilo cinematográfico. Aqui, o jovem Yoon Jongwoo (Im Siwan) se muda para um dormitório ao chegar em Seul, depois de conseguir uma vaga de estágio numa corporação. Assim, o rapaz passa a conviver com os moradores peculiares do lugar, que não demoram muito para mostrar suas verdadeiras personalidades. Até que possa ir para um lugar melhor, Jongwoo deverá enfrentar a atmosfera bizarra da moradia compartilhada. 2- Kingdom Nesta produção Netflix, uma praga toma conta da Coreia do Sul na época da Dinastia Joseon. Nisso, o príncipe Lee Chang (Ju Jihoon) é enviado numa missão para descobrir o motivo da doença, que a primeiro momento é totalmente desconhecida. Ao mesmo tempo, o príncipe tenta descobrir a real causa da morte do rei, do qual Chang ficou afastado durante anos de sua vida. Kingdom tem duas temporadas com seis episódios cada um, e mistura o gênero de horror zumbi com o cenário da Coreia medieval. Há também um episódio especial, classificado como filme, chamado "Kingdom: Ashin of the North". 3- D.P Dog Day Em D.P Dog Day, o público entra em contato com os bastidores do exército sul-coreano. No dorama, acompanhamos o trabalho que o novato Jun Ho (Jung Haein) deve realizar para trazer desertores às bases militares. Em seis episódios, é visto como Jun Ho irá conhecer cada personalidade dos homens que fugiram do alistamento; além da série mostrar um olhar diferente do serviço militar da Coreia do Sul, que não é visto com frequência. D.P Dog Day é baseado num webtoon, criado por Kim Botong. Se você gosta de ação, cenas de luta e uma tensão bem desenvolvida na trama, este dorama pode ser uma boa opção. 4- Retaliação No drama protagonizado por Lee Seunggi e Suzi, o dublê Cha Dalgun detém a guarda do sobrinho após a morte do irmão. Apesar de fazer o máximo para cuidar do garoto, e servir de exemplo para ele, o pior acontece; um trágico acidente de avião vira a vida de Dalgun de cabeça para baixo. Assim, ao viajar para o local da queda na intenção de homenagear o sobrinho, o lutador de artes marciais vai descobrir coisas que jamais imaginou.

  • Nevertheless na Netflix: Conheça a webtoon que deu origem ao dorama e saiba onde ler

    Intitulada como "Apesar de Tudo, Amor" no catálogo da Netflix, a série coreana é baseada em uma história em quadrinhos de 40 capítulos (Reprodução/Netflix/Jung Seo) Nevertheless chegou ao catálogo da Netflix em 7 de outubro, compondo a lista de novos lançamentos de doramas na gigante do streaming. A trama de 10 episódios já está completa na grade de conteúdos da plataforma, para a felicidade do grupo seleto (ou não) de fãs de K-drama que ainda não assistiram. Leia também — 15 doramas leves para assistir quando estiver triste e quiser esquecer os problemas Baseado na webtoon homônima, cujo nome em coreano é Algoitjiman (알고있지만), o dorama tem enredo e cenas direcionadas ao público adulto e conta com um elenco protagonizado por Song Kang (Navillera, Love Alarm e Touch Your Heart) e Han Sohee (100 Days My Prince e Abyss). Além dos atores já mencionados, Chae Jonghyeop, Lee Yeoreum, Yang Hyeji, Kim Mingwi e Lee Hojung também estão em Nevertheless. Se você já assistiu ao famoso dorama ou deseja se tornar um espectador, é provável que também tenha interesse em ler a webtoon. Para te ajudar com esta tarefa, o Café Com Kimchi separou algumas informações sobre o enredo da história em quadrinhos, além do lugar onde você pode encontrá-la. Qual é o enredo da webtoon de Nevertheless? (Reprodução/Jung Seo) Ilustrada e escrita por Jung Seo, a webtoon de Nevertheless foi publicada entre 13 de novembro de 2018 a 17 de julho de 2019, e contém o total de 40 capítulos explorando o complicado romance entre dois estudantes de artes. No enredo da história em quadrinhos, Jae Eon e Na Bi se conhecem na faculdade e são alunos no mesmo departamento, e estas semelhanças iniciais são o suficiente para que se interessem um pelo outro instantaneamente. Porém, Na Bi não acredita no amor após ter sido traída, enquanto Jae Eon não tem fé em relacionamentos, mas adora flertar. No primeiro encontro, eles desenvolvem uma conexão única, a começar pelo fato de que o nome da jovem significa “borboleta” — e o rapaz tem interesse nestas pequenas obras de arte da natureza. Leia também — Hometown Cha-Cha-Cha: Produtores pedem que os fãs parem de visitar casa onde o dorama foi gravado Iniciando um relacionamento sem responsabilidade afetiva mútua, os dois tentam não ultrapassar os limites de proximidade previamente estabelecidos, respeitando seus princípios sobre o conceito de amor. No entanto, conforme convivem e conhecem mais um sobre o outro, Jae Eon e Na Bi descobrem que o amor não tem uma fórmula de sucesso e tampouco é mágico como na ficção e na arte, podendo ser adaptado para funcionar em vidas tão contrastantes como a deles. Onde encontrar a webtoon de Nevertheless online? (Reprodução/Jung Seo) Nevertheless está oficialmente disponível para leitura no Naver Webtoon, tanto no site quanto na versão em aplicativo — podendo ser encontrado nas lojas Android e Apple Store. Com quatro capítulos gratuitos na plataforma, a história em quadrinhos está completamente em coreano — o que a torna, de certa forma, inacessível para quem ainda não sabe ler no idioma original. Mas caso você tenha conhecimento em inglês, temos outra opção para te ajudar! A webtoon também pode ser encontrada totalmente em inglês no site “m.webtoons.com”, mas na versão desktop, apenas quatro capítulos estão disponíveis. Para ter acesso a todos os episódios da história em quadrinhos, é necessário baixar o aplicativo. Após ler quatro partes de Nevertheless gratuitamente, o usuário só poderá desfrutar da leitura com o passe diário fornecido pela plataforma. No aplicativo da “m.webtoons.com”, um episódio gratuito por dia é desbloqueado e permanece disponível por 14 dias. Mas, se você não quiser passar os próximos 36 dias lendo apenas um capítulo diariamente, a plataforma também disponibiliza a opção de leitura instantânea, em que é possível liberar a versão completa da história mediante a compra de pacotes de uso — e, felizmente, há muitas opções de preços promocionais para os amantes de webtoons.

  • Assista às performances dos Music Shows da 1° semana de outubro

    Confira os principais stages que aconteceram na semana do dia 04 ao dia 10 de outubro de 2021 Começamos o mês de outubro com diversos comebacks e também com uma semana repleta de stages nos Music Shows da Coreia. Por isso, o Café com Kimchi separou as principais apresentações da semana especialmente para você. Role a matéria para assistir! Youngjae - Vibin No dia 05 de outubro, Youngjae do GOT7 lançou seu primeiro álbum solo COLORS from Ars e já na primeira semana de promoções o cantor já participou dos Music Shows. Confira os primeiros stages da título Vibin abaixo: M Countdown - 07 de Outubro Music Bank - 08 de Outubro Music Core - 09 de Outubro Inkigayo - 10 de Outubro KEY - Bad Love O primeiro mini-álbum do Key do SHINee foi lançado no dia 27 de setembro marcando um retorno esplêndido do cantor. Alguns de seus stages foram marcados para a primeira semana de outubro. Veja as apresentações sensacionais da título Bad Love: M Countdown - 07 de outubro Music Bank - 08 de outubro Music Core - 09 de outubro Inkigayo - 10 de outubro Vale também mencionar que no stage do Music Core Key ganhou seu primeiro WIN como solista com Bad Love e foi muito mais do que merecido! Parabéns Key! Veja abaixo a reação emocionada do cantor que levou vários shawols às lágrimas: ITZY - LOCO O girlgroup da JYP Entertainment lançou seu comeback com a título LOCO no dia 24 de setembro e continua promovendo nos Music Shows pela primeira semana de outubro. As garotas levaram dois WINS para casa – no Music Bank e no Inkigayo. Confira os stages abaixo: M Countdown - 07 de outubro Music Bank - 08 de outubro Music Core - 09 de outubro Inkigayo - 10 de outubro ATEEZ - Eternal Sunshine No dia 3 de outubro o grupo ATEEZ lançou a terceira parte da trilogia de álbuns intitulada Fever. Confira as promoções do single Eternal Sunshine abaixo: M Countdown - 07 de outubro Music Bank - 08 de outubro Music Core - 09 de outubro Inkigayo - 10 de outubro Agora o Café com Kimchi quer saber: qual foi seu stage favorito? Compartilhe sua opinião com a gente!

bottom of page